jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

DEFENSOR DE BANDIDOS – Dom Reginaldo Andreotti, bispo diocesano de Jales, começou a sua homilia na missa das sete e meia, na Catedral, domingo passado, dia 25, no estilo que vem caracterizando sua atuação desde que assumiu...

Fique Sabendo
05 de março de 2018
Dom Reginaldo na missa: “quem está acostumado a tomar papinha estranha alimento um pouquinho mais forte”
DEFENSOR DE BANDIDOS – Dom Reginaldo Andrietta, bispo diocesano de Jales, começou a sua homilia na missa das sete e meia, na Catedral, domingo passado, dia 25, no estilo que vem caracterizando sua atuação desde que assumiu, há dois anos, —direto ao ponto. Ele, sem meias palavras, se referiu à incompreensão de algumas pessoas que se dizem cristãs em relação aos textos que escreve e que são publicados na mídia local e até no site da CNBB. E deu um exemplo concreto, narrando o caso mais recente, o de uma moça que lhe mandou um e-mail perguntando se ele era a favor de bandidos.

INTERVENÇÃO MILITAR –O e-mail tinha a ver com os os reparos críticos feitos pelo bispo em relação à decisão do governo federal de decretar à intervenção militar no Rio de Janeiro para coibir a violência O título do artigo era “Militarismo não soluciona violência”

 PALAVRAS TROCADAS– Dom Reginaldo atribuiu o conteúdo do e-mail à incompreensão por parte de alguns sobre a missão de um bispo, que é orientar os cristãos segundo os ensinamentos de Jesus. Sua frase foi uma espécie de reprodução do que dissera em entrevista ao Jornal de Jales em 4 de fevereiro, quando rebateu críticas dos que consideram seus textos “excessivamente políticos”. Naquela entrevista, o bispo não amaciou: “muitos não têm formação cristã consistente que lhes permita compreender a Doutrina Social da Igreja e muitos deles não têm sequer abertura para mudarem práticas incoerentes com o Evangelho”.

CARDÁPIO- Em certo trecho de sua fala na missa, o bispo disse até entender a estranheza de uns e outros diante do que diz e escreve: “servir um alimento um pouquinho mais forte às vezes provoca indigestão em quem está acostumado a tomar papinha”.  

 OLHO NO OLHO – Na parte final da homilia de domingo, Dom Reginaldo baixou o tom e colocou-se à disposição da autora do e-mail e de todos os demais insatisfeitos para uma civilizada conversa pessoal para dirimir as dúvidas.
 
 ARIGATÔ – Carlos Toshiro Sakashita, empresário binacional nascido e criado em Jales, voltou na última segunda-feira, dia 26 de fevereiro, de mais uma viagem ao Japão, onde tem negócios. Este tour empresarial de Toshiro coincidiu com a presença no Japão do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), vice-líder nas pesquisas de opinião pública e líder quando Lula não está na parada. 

OLHO NELE – O que impressionou o dono da Rede Sakashita de Supermercados foi a popularidade de Bolsonaro no Japão, tendo sido recebido em alguns lugares como um verdadeiro pop star. Por exemplo, em Oizume, cidade de 28 mil habitantes, cuja população é formada por 10% de brasileiros, os patrícios queriam fazer selfies e abraçar Bolsonaro.

PASSANDO O CHAPÉU - Toshiro, que é o vice-provedor da Santa Casa de Jales, não perdeu a oportunidade de passar o chapéu e pedir uma emenda parlamentar ao presidenciável, que ainda exerce o mandato de deputado federal. Bolsonaro, ao lado de Toshiro, chegou a gravar um vídeo prometendo encaminhar o pedido.

DINHEIRO EM CAIXA – A propósito, já está no caixa da Santa Casa de Jales recursos da ordem de R$ 400 mil resultantes de emenda parlamentar do deputado federal Flávio Bolsonaro, apresentada em 2017. Flávio é filho do pré-candidato a presidente da República. 

COMITI VA – Segundo a Folha de S. Paulo de 27 de fevereiro, a delegação brasileira foi liderada por Bolsonaro e também pelo presidente da Liga Parlamentar Brasil-Japão, deputado Luiz Nishimori, do PR do Paraná. O grupo deveria ser recebido pelo lado japonês pelo ministro das Finanças, Taro Aso. No entanto, o ministro estava comprometido com os trabalhos do Comitê de Orçamento da Câmara 
 
POLIVALENTE   -  Fausto Porto que ganha a vida como representante comercial a serviço de distribuidora de medicamentos, joga em todas, para usar linguagem futebolística. Agora, além da atividade profissional, ele, nas horas vagas, virou uma espécie de porta-voz da comissão organizadora da Facip 2018. No sábado, 24 de fevereiro, Fausto foi entrevistado pelo comunicador Anderson Clayton no ouvidíssimo programa Arena 102 e respondeu todas as perguntas com serenidade e riqueza de detalhes, mas aproveitou a viagem para dar uma cutucadinha nos incrédulos que ainda duvidam que vai haver Facip este ano. Sua fala foi de fácil compreensão dos ouvintes. Uma de suas revelações: “70º do recinto será coberto”.