jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

De Guangzhou (China) para o Noroeste Paulista

Perspectivas por José Magalhães Rocha
04 de fevereiro de 2018
José Magalhães Rocha
 PRC é a sigla em inglês para República Popular da China, nome internacional oficial ou simplesmente China para nós, brasileiros. País com uma população de 1,36 bilhão de pessoas, segunda maior economia do planeta, apesar de ainda ser considerado país em desenvolvimento; que gerou Bruce Lee e Jackie Chan em distintas gerações; de pratos exóticos e até motivo de comentários pitorescos, endereço de umas das “maravilhas do mundo”,  as muralhas da China; possui inúmeras razões para ser conhecida do mundo. 
Mas, a despeito destas razões e até, porque não dizer, de uma administração política monopartidária, é por razões econômicas, consequência de uma perfeita sintonia educação/tecnologia/indústria/comércio, que não só é reconhecida como respeitada, pois sua pujança tem influência em qualquer país do planeta.
Não poderia ser diferente para o Brasil e, consequentemente para a nossa região que é uma das mais ricas do Estado mais rico da Federação, além de ser corredor logístico nos modais aéreo, ferroviário, rodoviário e hidroviário, entre os estados do centro-oeste brasileiro e o comércio internacional. 
Neste sentido, tive a felicidade de participar no último dia 31/01 do workshop “NEGOCIOS DA CHINA” em São José do Rio Preto, evento já muito bem comentado pelo editor deste J.J. nas edições de 21 e 28 de janeiro.
Devo alegremente admitir que, apesar da minha experiência adquirida em empresas multinacionais para as quais trabalhei, onde tive inclusive a oportunidade de conhecer a China, fiquei muito bem impressionado pela qualidade da apresentação e competência/experiência dos palestrantes que foram também os organizadores do evento. 
A começar pela explanação de Paulo Narciso, diretor presidente da Caribean Express que, do alto de seus 30 anos de experiência  em  despachos aduaneiros e integrador logístico entre agentes de carga, transporte internacional e órgãos governamentais,  explicou detalhadamente, de forma simples, com exemplos reais, os tramites fiscais, legais e logísticos das operações, desde a disponibilidade do produto na origem até a chegada deste produto em seu destino final. 
A seguir, a Sra. Cristiane Kassim, diretora da Adara Trade, uma comercial importadora com sede em S.J. do Rio Preto e escritórios em Shenzhen e em Guangzhou, com a segurança que só possuem os que realmente conhecem, nos deu uma “aula” sobre a China, não só em relação a mercados e produtos, como sobre alguns costumes e “dicas” para  quem  quiser visitar aquele país, o que fazer e como fazer para adquirir da melhor forma os produtos chineses. 
Na sequência, como  previamente planejado para fechar o ciclo uma transação em comercio exterior, recebemos uma verdadeira aula de Reginaldo Teiji Gamba, nosso colega jalesense,, economista, professor e sócio diretor de uma operadora de cambio sediada no Rio de Janeiro com filial em S .J. do Rio Preto, sobre aspectos financeiros, seus trâmites e modelos, o chamado “fecham ento de cambio” que  é o pagamento do que foi adquirido.
Portanto, para quem quer fazer negócios com a China, as informações recebidas neste workshop foram necessárias e suficientes. Melhor que isto só visitando a CANTON FAIR, a maior feira comercial do mundo que acontece em abril em GUANGZHOU.

José Magalhães Rocha 
(engenheiro eletrônico, ex-diretor da Philips e ex- presidente da DHL Brasil)