Observatório

Cura da dengue

E o incansável candidato a vereador Ailton Cavano pegou dengue novamente. Desde 2009 que o Cavano vem sofrendo com a doença ininterruptamente. Ano após ano. E aquele corpo franzino é mais resistente do que se imagina. Nele os sintomas da dengue são quase imperceptíveis.  O máximo que acontece com o Cavano é deixar de beber cerveja por um ou dois dias. Háháhá. Parece que agora uma amostra do sangue dele será encaminhada para a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) para ser estudado. Dali pode sair a cura para a dengue.
Mais um pronunciamento bacana da nossa presidente Dilma, dirigindo-se à nação: “Não acho que quem ganhar; nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder.”Háháhá. Eu gosto dos aplausos depois. Claro que quem aplaude são os alienados que a gente já conhece ou os que mamam ou os ignorantes mesmo. Háháhá.
E foi destaque na Folha de segunda-feira passada que dívida faz mal à saúde. Muitos débitos causam ansiedade, angústia e depressão. Vixi! Depois da Facip, Jales vai virar uma cidade de zumbis. Háháhá. Porém, segundo levantamento do Instituto FioranIbope, sem nenhuma comprovação científica, isso acontece com apenas 10% dos endividados e 90% dos que têm para receber. Háháhá. Todo mundo sabe que boa parte dos que devem não está nem aí. Na primeira oportunidade o ordinário troca o celular moderno que tem por outro de última geração. Tudo em 36 suaves prestações. Háháhá.
E antes do depoimento do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, à CPI da Petrobrás uma pessoa soltou ratos no local. Para encurtar a história. O rapaz que soltou os roedores foi preso e os ratos saíram enjaulados. João Vaccari e os outros deputados passam bem. Háháhá.
Sexta-feira da semana passada foi feriado. Sem ter o que fazer, saí cedinho de casa com uma missão: cancelar uma linha de telefonia móvel. Psicologicamente preparado para o embate, estava decidido a não desistir enquanto não conseguisse o cancelamento. Pois depois de 43 minutos e seis protocolos gerados para cada uma das ligações que caiam ou setores para os quais eu era encaminhado, eu venci. Foi gerado um protocolo de cancelamento. Claro que fui informado que ainda receberei uma ligação do setor para confirmação. Háháhá.
Quem fala demais dá bom dia a cavalo. Semana retrasada critiquei aqui o fato de os professores que estão tentando entrar em greve no Estado de São Paulo estariam reivindicando aumento salarial de 75%. Foi o que eu havia lido num grande jornal. Num país onde a quase totalidade dos trabalhadores teve aumento próximo a 8%, a coisa me pareceu estranha. Só que, depois, deparei-me com um cartaz produzido pela Apeoesp e verifiquei que, na verdade, o que se busca é uma equiparação com as demais categorias com formação de nível superior. Assim a coisa é justa.
Por hoje é só. Tchau!


 Fábio César Fiorani
Professor de Inglês, graduado pela FAI-Jales e pós-graduado em Língua Inglesa pela UNESP de São José do Rio Preto - Franqueado CCAA em Jales.
jales@ccaa.com.br

 

Desenvolvido por Enzo Nagata