jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

CR7 e Messi: gênios para a história

Por Eduardo Martins
18 de março de 2019
Quando qualquer pessoa pensa em grandes nomes que marcaram época no futebol, normalmente os dois primeiros citados são Pelé e Maradona. Ídolos dentro e fora de seus países, ganharam o mundo e escreveram a história dentro esporte.
Depois que ambos aposentaram, outros atletas se destacaram por alguns anos, se consolidaram, mas ninguém conseguiu se manter no topo por tanto tempo igual a Cristiano Ronaldo e Messi, e nesta última semana foi possível acompanhar exemplos disso.
O português tinha a missão de ajudar sua equipe, a Juventus, reverter placar de 2 a 0 em casa, diante do forte Atlético de Madrid. Em noite histórica, com atuação mágica e três gols de CR7, o time italiano venceu por 3 a 0 e garantiu classificação para as quartas de finais da Liga dos Campeões.
Um dia depois o desafio de Messi era um pouco mais tranquilo, porém estava longe de ser fácil após empate por 0 a 0 no confronto de ida diante do Lyon. Também em noite épica, o craque deu duas assistências, marcou dois gols e foi fundamental na vitória por 5 a 1 do Barcelona frente a equipe francesa.
É difícil comparar épocas e dizer qual o tamanho exato dos dois atletas na história do futebol. Mesmo não sendo nascido quando Pelé atuava, o considero o maior e quase uma figura inigualável, mas uma certeza é que Cristiano e Lionel podem sentar na mesma mesa que um gênio como o brasileiro.
Ambos nunca conquistaram uma Copa e com o passar dos anos esse título fica cada vez mais distante, porém o profissionalismo, os cinco títulos de melhor do mundo de cada e as nove taças de Liga dos Campeões, deixam os dois muito acima de outros nomes do esporte que dificilmente vão se aproximar deles, um exemplo disso é Neymar.
Apesar do talento gigantesco, o brasileiro jamais teve o comprometimento e o profissionalismo de CR7 e Messi. Os episódios recentes que envolveram o atleta do PSG curtindo o carnaval em meio ao período de recuperação da grave lesão sofrida no quinto metatarso do pé direito, evidenciam isso.
Cristiano Ronaldo e Messi estão para sempre na história do futebol e serão lembrados eternamente. Uma pena que atuações como a desta semana talvez não possam ser vistas por tanto tempo pelo fato da carreira profissional de um jogador passar rápido, mas o domínio absoluto do esporte por 12 anos já é algo mágico digno de reverências.

Eduardo Martins 
 (jalesense, aluno do 3° ano de jornalismo da PUC-Campinas)