Observatório

Corrida dos candidatos

E segundo a candidata Dilma Rousseff, uma tia do pai do candidato Aécio Neves teria matado um frango caipira colocando a cabeça do coitadinho embaixo de um cabo de vassoura e puxando a ave pelos pés até quebrar-lhe o pescoço. O fato teria acontecido em 1978 e teria chocado os vizinhos. Háháhá.
Numa suposta entrevista ao meu amigo andarilho bebum, a candidata Dilma Rousseff teria dito: “Vamos comparar: “eles” precisaram conseguir um empréstimo com os Estados Unidos para conseguir investir na eletrificação de estradas de ferro. O governo desse meu antecessor precisou intervir a favor de grupos situacionistas estaduais em troca de apoio no Congresso. Construíram-se apenas 205 açudes no Nordeste. Um absurdo.” Bem informado que é, meu amigo bebum contestou: “Mas candidata, esses não são dados do governo FHC.”  Meio atrapalhada com o pacote de papeis que usa para conseguir argumentar em entrevistas e debates a candidata Dilma desculpou-se: “ C#%, esses são dados do governo Epitácio Pessoa. Desculpa aí.” Háháhá.
E os debates entre os candidatos a Presidência da Republica estão ficando quentes. Não demora e alguém vai mandar o outro para a p.q.p. Háháhá. E o último debate na Globo que acontecerá na próxima sexta-feira terá classificação indicativa para maiores de 18 anos. Só baixaria. Quem quiser inteirar-se de boa educação, saúde, segurança que se mude para a Suíça. Ou para Cuba, de acordo com a candidata Dilma. Háháhá.
E o pilantra-mor? Sumiu da TV. Escreve aí: esse vai cair na rede do caso Petrobrás.
E o Instituto FioranIbope saiu às ruas de Jales no último dia 17 e entrevistou 24 pessoas. A candidata Dilma aparece com 13% das intenções de voto. Aécio Neves (PSDB) aparece com 45%. O candidato Levy Fidelix, já fora da disputa, foi lembrado por 24% dos entrevistados. A margem de erro é de 40 pontos para cima ou para baixo e o índice de confiabilidade é de 4%.
Aliás, segundo a candidata Dilma Rousseff, por conta dos pesados investimentos de seu governo na região Nordeste, está havendo um movimento de retorno da população àqueles estados para usufruir das maravilhas ali implantadas nos últimos 12 anos. Na verdade, acho que está todo mundo fugindo da seca aqui de São Paulo. Háháhá. Quem diria? Háháhá.
E se falta chuva em São Paulo, em Minas Gerais a situação parece muito melhor. Lá não falta água. Prova disso foi a lavada que o Corinthians levou do Atlético Mineiro na semana passada. Háháhá.
Por hoje é só. Tchau!

    Fábio César Fiorani
Professor de Inglês, graduado pela FAI-Jales e pós-graduado em Língua Inglesa pela UNESP de São José do Rio Preto - Franqueado CCAA em Jales.
jales@ccaa.com.br

Desenvolvido por Enzo Nagata