jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Corregedor da Justiça do Trabalho dá 9,5 à Vara de Jales

ENTREVISTA DA SEMANA
13 de outubro de 2019
Desembargador Manoel Carradita: “Vara do Trabalho de Jales funciona com eficiência”
O desembargador Manuel Soares Ferreira Carradita, corregedor do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, veio, viu e gostou.  A ponto de, entrevistado pelo Jornal de Jales, atribuir nota 9,5 ao desempenho da Vara do Trabalho de Jales. 
A correição foi feita na segunda-feira, dia 7 de outubro, ao longo da qual ele verificou o andamento de ações propostas por advogados militantes na Vara em nome de trabalhadores de Aparecida d’Oeste, Santa Albertina, Rubinéia, Populina, Pontalinda, Paranapuã, Palmeira d’Oeste, Nova Canaã Paulista, Mesópolis, Marinópolis, Urânia, Turmalina, Três Fronteiras, São Francisco, Santana da Ponte Pensa, Sana Salete, Santa Rita d’Oeste, Santa Fé do Sul, Santa Clara d’Oeste, Vitória Brasil, Aspásia, Auriflama, Dirce Reis, Jales e Dolcinópolis. 
O desembargador, nascido em Portugal, formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, em Portugal, onde foi oficial do Exército, professor de História Universal e Ciências Naturis em escolas públicas e advogado. 
No Brasil, ingressou na magistratura do Trabalho por concurso em 1986, chegando ao ápice da carreira em 2002, tornando-se juiz togado da 15ª Região. 
Eis a síntese da entrevista concedida ao J.J. 

J.J. – Desembargador, como o senhor encontrou a Vara do Trabalho de Jales?
Corregedor – A Vara do Trabalho de Jales é realmente uma “vara modelo”. É uma vara que funciona bem, que atua, digamos, com eficiência, celeridade, enfim, que eu saiba não há assim uma falha grave que nós estejamos sabendo que eles estejam praticando. Só tenho recebido elogios. Hoje já recebi aqui várias visitas de advogados elogiando o trabalho deles aqui. 

J.J. – Consta que a Vara do Trabalho de Jales agora está entre as 20 melhores do Brasil. Isso é verdade?
Corregedor – É verdade. Considerando o iGEST, que é Índice Nacional de Gestão de Desempenho da Justiça do Trabalho, Jales está em 20º lugar. E em nossa região do TRT 15, Jales estaria hoje, salvo o engano, em 2º lugar.

J.J. – A reforma trabalhista facilitou a vida do pessoal que trabalha aqui?
Corregedor – Facilitou em termos, porque eu acho que a reforma veio trazer, com ajustes talvez necessários, maior realismo ao nosso processo. Então veio coibir alguns exageros que se praticavam e veio tornar o processo mais prático.

J.J. – Quando o senhor se refere a realismo significa o que? Acabou a litigância de má fé?
Corregedor – Não, isso só acaba quando o último integrante desaparecer do planeta Terra. A má fé é inerente ao homem, nós temos até uma passagem bíblica onde Caim matou Abel. Ele não estava de boa fé. Então a má fé sempre haverá, mas eu acredito que tenha diminuído bastante e que vai diminuir mais, isso em nível nacional.

J.J. – Qual é o tempo médio de ajuizamento de uma ação aqui na Vara do Trabalho de Jales e a conclusão com sentença ou conciliação?
Corregedor – Nós temos dois ritos, o ordinário e o sumaríssimo. No rito ordinário, de setembro de 2018 a julho de 2019 estava em 286 dias. Já no sumaríssimo 102 dias. Então, é a média que demora uma ação aqui na Vara do Trabalho de Jales.

J.J. – Esses números representam um bom índice?
Corregedor – É um excelente índice. Eu vou dar um exemplo. Eu estive há dias fazendo correição na Vara de Cruzeiro, que é próximo à divisa do Estado do Rio de Janeiro. No entanto, um advogado me procurou lá e ele estava me dizendo que foi falar com o juiz e veio reclamar, porque lá uma ação, só vai ter uma sentença daqui a quatro anos, e a primeira audiência daqui a dois anos. Então isso dá uma ideia de como a Vara de Jales é rápida.

J.J. – Se o senhor fosse um professor e tivesse que examinar o desempenho de uma classe, no caso a Vara do Trabalho de Jales, de 0 a 10 o senhor daria quanto?
Corregedor – Eu tenho muita dificuldade de dar nota 10, eu já fui professor em várias escolas secundárias e superiores, já fui coordenador de pós-graduação. Então 10 eu não daria, mas eu daria tranquilamente nota 9,5.