quinta 02 julho 2020
Especial

Coronavírus no Brasil e na Itália: situações diferentes, mas igualmente perigosas, adverte Rensi

 disseminação do coronavírus no Brasil pode repetir a da Itália, o país da Europa mais atingido pela doença? O empresário Alexandre Rensi que divide seu tempo entre Jales e Verona acredita que são situações diferentes, mas por aqui também são esperados momentos críticos, apesar da mudança em uma semana, com as medidas preventivas que estão sendo tomadas.
Na última quarta-feira, dia 18 de março, ele conversou com um amigo, Sérgio Marcuti, que mora em Legnago, perto de Verona. Na Itália as restrições ainda são grandes e desde a semana passada as pessoas não podem sair de casa. Em Legnago está quase tudo fechado, inclusive o comércio e as empresas prestadoras de serviços. 
Apenas supermercados e farmácias estão atendendo e mesmo assim a pessoa tem que levar um documento assinado, informando o que vai comprar. Quem for pego sem esse documento é multado e processado. Nesses locais o abastecimento está normal, mas as pessoas tem que ficar esperando para entrar nos estabelecimentos, a dois metros um do outro.

JALES
Com o número de casos suspeitos em Jales, Rensi acredita que o vírus já está circulando e como a doença a princípio é assintomática, as pessoas acabam transmitindo sem perceber.
Reduzir as saídas é importante, segundo Rensi que também não vê a necessidade de se preocupar com abastecimento, pois tudo indica que não vão faltar produtos, como não faltou nos países europeus. Ele não vê motivo para pânico, mas sim para preocupação em relação às medidas preventivas que são conhecidas por todos.

Enfermeira na Itália: “situação é muito séria”

Patrícia Pires da Silva, de Urânia, que mora no norte da Itália com seu marido Wellington, e trabalha como enfermeira em uma casa de repouso para idosos aconselhou todos a tomarem as precauções necessárias, pois a situação é muito séria. 
Ela lembrou que quando surgiu o primeiro caso, em janeiro, parecia que nada iria acontecer, mas hoje a situação é bem diferente, com o comércio todo fechado, a não ser para a venda de produtos de primeira necessidade, como supermercados, farmácias e açougues, todos com muitas restrições. Muitos criaram os serviços de delivery, o que não era muito comum por lá.
Um decreto do governo limita bastante os deslocamentos a não ser em casos necessários, como problemas de saúde e compras de alimentos que precisam ser comprovados com uma autocertificação com os dados da pessoa. O abastecimento está normal e só chegaram a faltar álcool gel e máscaras.
Ela não conhece ninguém que tenha sido contaminado e os hospitais estão atendendo normalmente, mas com a recomendação de se evitar ao máximo procurar atendimento nesses locais e nos prontos socorros. Os casos mais leves de coronavírus são acompanhados em casa e só os mais graves são internados. Na clínica onde trabalha todos os procedimentos são adotados, com o máximo de cuidados.
Como no resto do mundo, Patrícia recomenda também aos jalesenses que fiquem em casa para quebrar a corrente de transmissão, pois o problema é muito sério e deve atingir a maioria das pessoas, em duas ou três semanas, se não forem tomadas todas as precauções. 
Por fim ela afirma que no Brasil, o exemplo e as informações vindas dos outros países podem amenizar a situação se todos se conscientizarem, adotando as medidas necessárias.

NONÔ NA FRANÇA: 
“Quem sair de casa pode pagar até 135 euros”

Desde o dia 16 de março, aqui na França, o comércio, escolas, creches, shoppings, discotecas, restaurantes, museus, faculdades estão fechados. Somente os comércios que são indispensáveis estão abertos (supermercados, farmácias, bancos, correio, postos de combustíveis).
O presidente Macron fez um pronunciamento dizendo que estamos em guerra sanitária. A quarentena foi oficialmente instalada na França a partir do dia 17 de março, ao meio-dia. Então, estamos em confinamento. Quem sair de casa sem justificativa plausível será multado e essa multa é no valor de 38 a 135 euros, dependendo da forma em que for julgado.
Cem mil policiais estão instalados no território francês para abordar as pessoas, questionando o porquê do deslocamento dela, se é necessário ou não.
O presidente também falou que hotéis e taxis serão pagos pelo governo para as pessoas que trabalham na área da saúde. Anunciou um auxílio financeiro no valor de 300 bilhões de euros para todas as empresas, independentemente de seu tamanho. As pessoas que são assalariadas continuarão recebendo seus salários. O governo decretou também que a partir do dia 17 pequenas empresas com dificuldades não vão precisar pagar água, energia, aluguel, imposto, taxas.
Todas as reformas em andamento estão suspensas, inclusive a reforma da previdência que tem gerado bastante conflito aqui.
Para você sair de casa você tem que ter um atestado na mão. E esse atestado é de deslocamento entre domicílio e trabalho ou também para fazer compras, ir à farmácia, problemas de saúde.
Uma coisa que falou na televisão é que não tem necessidade das pessoas fazerem estoque de comida em casa. Tá uma loucura nos supermercado. Prateleiras de arroz, papel higiênico, feijão estão fazias porque as pessoas foram lá compraram tudo e estocaram.
Para você que é brasileiro e está no Brasil neste momento, eu deixo um alerta. No começo da epidemia, a França doou várias toneladas de máscaras para a China pensando que a doença não chegaria aqui. Nós temos que tomar precauções.
Graças a Deus, o Brasil é muito agraciado em questão de doença, terremoto, maremoto. Então quando acontecem umas coisas assim nós, brasileiros, somos um pouco incrédulos, dizendo: “isso não vai chegar aqui”. E tudo nós levamos na brincadeira. Mas se você pode se precaver em relação a isso, faça sua parte e ajude o próximo. 

Malagó: “peço a Deus que nos proteja” 

Meus amigos, passei a semana em Dallas no Texas, e vi o estrago que o Coronavirus está trazendo para os Estados Unidos, voos cancelados, empresas dando férias aos seus funcionários, Universal e Disney estarão fechadas. Isso mesmo! Fechadas por duas semanas o que irá trazer para a economia da Florida uma perda imensurável pois o fechamento destes parques traz prejuízos a toda cadeia que circunda estes espaços. Restaurantes, hotéis, comercio serão afetados de forma drástica... Pela primeira vez recebo um chamado de uma empresa aérea (American) pedindo que eu antecipasse meu embarque pois não haveria garantias de embarque caso os voos fossem cancelados. Peço a Deus que nos Proteja e nos Oriente

Desenvolvido por Enzo Nagata