jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Coordenadora Diocesana alerta sobre violência e pede mais dignidade para com a pessoa idosa

Dia 15 de junho marcou o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa.
16 de julho de 2018
Evanir, coordenadora diocesana: “a violência pode estar perto de você. É preciso denunciar e dizer não à violência contra o idoso”
O dia 15 de junho marcou o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, data instituída em 2006, pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa.
O objetivo da data é criar uma consciência mundial, social e política da existência da violência contra a pessoa idosa e, simultaneamente disseminar a ideia de não a aceitar como normal.
“A violência contra os idosos deve ser entendida como grave violação aos direitos humanos”, alertou a professora Evanir Bernardes, coordenadora diocesana da Pastoral do Idoso.
Em tom didático, ela pontuou: “E o que podemos considerar violência? OMS define violência contra Pessoa Idosa Ato de acontecimento ou omissão que pode ser tanto intencional como voluntaria. O abuso pode ser de natureza física ou psicológica ou pode envolver maus tratos de ordem financeira ou material. Qualquer que seja o tipo de abuso certamente resultará em sofrimento desnecessário, lesão ou dor, perda ou violação dos direitos humanos e uma redução na qualidade de vida da Pessoa Idosa”.

TIPOS DE VIOLÊNCIA
Evanir  especificou os tipos de violência de que padecem os idosos em seu cotidiano para poder enfrenta-los.
Ela explicou que a violência interpessoal ocorre nas relações pessoais cotidianas praticadas por filhos, conjugues, netos, irmãos, conhecidos da vítima. E aproveitou para detalhar de que maneira se dão os fatos:
Abuso físico ou violência física – uso da força física contra a PI para feri-los, provocar-lhes dor, incapacitando ou morte.
Abuso psicológico, violência psicológica (abandono) – são as agressões verbais (xingamentos) ora gestuais para aterrorizar, humilhar a PI.
Negligencia (com os dependentes) refere-se a recusa ou a omissão de cuidados devidos e necessários aos idosos por parte dos responsáveis familiares ou institucionais.
Abuso financeiro e econômico – uso não consentido pelo idoso de seus recursos financeiros e patrimoniais.Geralmente  ocorre no âmbito familiar (consignado).
Autonegligência – recusa de promover cuidados necessários.
Violência emocional e social – agressão verbal depreciativa, desrespeita sua identidade, dignidade e autoestima não respeita seus desejos, amizades.

PROTEÇÃO
A Pastoral da Pessoa Idosa, como parte da rede de ações em favor das pessoas, como as visitas domiciliares mensais, acompanhando principalmente as vulnerabilidades pela pobreza e abandono, estimula os seus membros e pessoas idosas acompanhadas para a inserção nas ações por um envelhecimento digno, sem violência, realizando a sua missão para que as pessoas idosas tenham mais vida, dignidade e esperança.