jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

CONVERSÃO- Érica Cristina Carpi, ex-tesoureira da Prefeitura de Jales, figura central da Operação Farra no Tesouro deflagrada pela Polícia Federal, está procurando ficar em paz consigo mesmo...

Fique Sabendo
20 de janeiro de 2019
Ex-tesoureira Érica está frequentando igreja evangélica tradicional
CONVERSÃO- Érica Cristina Carpi, ex-tesoureira da Prefeitura de Jales, figura central da Operação Farra no Tesouro deflagrada pela Polícia Federal, está procurando ficar em paz consigo mesmo, independentemente da pena que a justiça possa eventualmente lhe imputar. Além de ter confessado todos os deslizes profissionais na PF, na CEI da Câmara e na Comissão de Sindicância da Prefeitura, assumindo integralmente as responsabilidades pelas práticas delituosas, Érica está se convertendo. Fonte muito próxima a ela garante que a ex-tesoureira vem frequentando humildemente os cultos de uma das mais tradicionais e rigorosas denominações religiosas de Jales, a Congregação Cristã do Brasil, no templo que fica na avenida Francisco Jalles ao lado do viaduto. Além de Érica, sua irmã Simone também se voltou para a espiritualidade.

CORRENDO ATRÁS – O prefeito Flávio Prandi Franco (DEM) passou a semana em São Paulo. Uma de suas preocupações foi levar às esferas governamentais a insatisfação das lideranças jalesenses em face da anunciada transformação do Pelotão da Polícia Ambiental de Jales em Base.

BOLA NAS COSTAS – Como o segundo turno da eleição foi disputado em 28 de outubro e a decisão teria sido tomada em novembro do ano passado, há quem não descarte a possibilidade de que seja retaliação da equipe do então governador Márcio França (PSB) pelo apoio que as lideranças de Jales deram a João Dória (PSDB). 

DONO DA BOLA – Considerado o “primeiro-ministro” do governo Dória, o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) assume a titularidade hoje, dia 20, e pelos próximos cinco dias. Motivo; o governador embarca para Davos onde participará do Fórum Econômico Mundial. João Dória, tem encontros agendados com potenciais investidores na economia do Estado. 

TABELINHA – De acordo com a assessoria de imprensa do governo paulista, Dória fará palestra na quarta-feira, dia 23, na mesma data em que também vai se apresentar aos donos do dinheiro o presidente Jair Bolsonaro. 

MONTANHA RUSSA – Por falar em Rodrigo Garcia, em entrevista à Rádio Eldorado, ele que, além de vice, é Secretário de Governo, informou que a gestão João Dória já exonerou 300 servidores comissionados e readmitiu 50% desse número. Ele deixou bem claro aos entrevistadores que o objetivo da medida foi melhorar a eficiência do governo e não de uma “caça às bruxas”.

PACOTE – Na mesma entrevista, o vice-governador afirmou ainda que o governo paulista prepara um pacote de concessões, extinção e fusão de estatais. Em relação à Sabesp, ele disse que o caminho é a capitalização. “Queremos um governo mais enxuto, que gaste mais com serviços públicos e menos com máquinas públicas”, explicou. Traduzindo: quem está esperando uma boquinha no governo pode ir pensando em outro emprego.

REFORÇO DE CAIXA – Depois de quase dois anos o Corinthians finalmente conseguiu fechar com um patrocinador máster. Na última quinta-feira, dia 17, a diretoria do Timão anunciou seu novo patrocinador, o banco mineiro BMG, cuja marca ficará na parte mais nobre da camisa. A parceria deverá render R$ 30 milhões por ano, maior do que o clube recebia da Caixa Federal até abril de 2017— R$ 25 milhões.

REGIÃO NO GRAMADO FITA – Além dos R$ 30 milhões do BMG, o Corinthians terá o reforço de outros dois patrocinadores vinculados à região —Refrigerantes Poty, do ex-prefeito de Potirendaba, José Luiz Franzoti, que vai estampar a parte de trás do calção, e Universidade Brasil, que tem campus em Fernandópolis, cujo mantenedor é o empresário Fernando Costa, de Penápolis, nos ombros.  Os investimentos da fábrica de bebidas e da universidade somados atingirão R$ 15 milhões/ano.

 TERCEIRIZAÇÃO – Dois em cada três municípios brasileiros terceirizam mão de obra, segundo pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Ganho de eficiência e redução de gastos públicos aparecem como os principais motivos para a adoção da medida.  

QUINTAL- Em Jales, por exemplo, já faz 10 anos que pelo menos dois setores são terceirizados: lixo e merenda escolar. Mas, obedecendo a legislação, não tem jogo de compadres. A disputa é decidida após processos licitatórios.