jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Controladoria Geral da União aponta irregularidades em 47 benefícios pagos pelo INSS em Jales

acúmulo de benefícios ocorre quando o beneficiário recebe dois pagamentos que não poderiam ser pagos conjuntamente.
21 de janeiro de 2018
m Jales, o prejuízo mensal para o INSS com as irregularidades é de R$ 47.331,98
Levantamento realizado pela Controladoria Geral da União (CGU) e Ministério da Transparência identificou que em Jales 47 benefícios pagos mensalmente pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) estariam em situação irregular, sendo que em toda a região de São José do Rio Preto o número de irregularidades chega a 688 benefícios, segundo reportagem publicada pelo Diário da Região.
O acúmulo de benefícios ocorre quando o beneficiário recebe dois pagamentos que não poderiam ser pagos conjuntamente. Na região, foram apontados os seguintes benefícios em duplicata: aposentadoria e auxílio acidente, auxílio doença e auxílio acidente, pensão e pensão e aposentadoria e aposentadoria. 
Em Jales, dos 47 benefícios irregulares detectados, 45 são de duplicatas de pensão e pensão, somando R$ 46.146,46 pagos indevidamente cada mês, um caso de aposentadoria e auxílio acidente de R$ 562,20 mensais e um caso de auxílio doença e auxílio acidente, de R$ 623,32 mensais. No total, o prejuízo mensal para o INSS é de R$ 47.331,98. 

NA REGIÃO
Segundo o levantamento foram descobertos acúmulos de benefícios em oito cidades da região, gerando um prejuízo de R$720.170,50 aos cofres da previdência mensalmente. Além de Jales e Rio Preto (onde foram detectadas 419 irregularidades), foram descobertas 15 fraudes em José Bonifácio, 7 em Tanabi, 22 em Monte Aprazível, 92 em Votuporanga, 46 em Fernandópolis e 40 em Mirassol. 
No Brasil, foram encontrados 44.631 acúmulos indevidos, que representam um gasto anual de R$ 484 milhões. Cerca de 30% desses benefícios não poderão ser corrigidos, uma vez que estão sendo pagos há mais de dez anos e, de acordo com a legislação, não podem mais ser revisados. No caso de Jales, no entanto, todos os 47 benefícios ainda podem ser corrigidos pelo INSS, pois fazem parte dos 70% que estão sendo pagos há menos de dez anos e ainda são passíveis de correção.
Embora as irregularidades tenham sido encontradas nas unidades do INSS dessas cidades, os beneficiários não necessariamente residem nesses municípios. Em nota, o INSS informou que as irregularidades apontadas podem ou não ser confirmadas após os procedimentos de apuração internas. O órgão garantiu que, se confirmadas, haverá a suspensão e cobrança do beneficiário dos valores pagos indevidamente.