contato@jornaldejales.com.br
17 3632-1330

Como pagar menos impostos (1)

Por SILVIA BARBOSA DE MELO
29 de setembro de 2019
Silvia Barbosa de Melo
Na matéria anterior foi apresentado alguns passos para manter uma empresa organizada. Com os processos organizados fica bem mais fácil executar e gerenciar os negócios, entre as várias vantagens, uma muito importante consiste em auxiliar a empresa pagar menos impostos. 
Pagar impostos é uma tarefa que ninguém gosta de cumprir, mas é obrigatória em qualquer parte do mundo, inclusive no Brasil, onde a carga tributária é uma das mais elevadas do planeta.
Sem uma boa organização muitas empresas perde documentos e prazos, e isso acarreta consequentemente atrasos nos pagamentos dos impostos, e uma série de encargos, aumentando valor de multas e juros.
Existem dezenas de tributos, que são cobrados por meio de impostos federais, estaduais e municipais. Pagamos tributos sobre propriedade, como o IPVA e o IPTU, sobre cada serviço ou produto utilizado/adquirido, como é o caso do IPI e do ICMS, e sobre a renda, que é o caso do Imposto de Renda. E são tantos tributos intrínsecos em cada compra que, muitas vezes, nem percebemos o quanto pagamos.
De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), existem produtos no país que têm uma tributação total superior a 80% do preço final do produto. Mas, você sabia que é possível pagar menos imposto e sem se complicar com a lei?
Como visto o nosso sistema tributário, é bem complexo com diversas taxas, alíquotas, tributos e contribuições, o que deixa o empresário com a sensação de estar somente pagando e não tendo retorno. Por essa insatisfação, muitos tentam maneiras alternativas de pagar menos impostos, com a famosa evasão fiscal, o que não é legal. 
Mas podemos trabalhar com a elisão fiscal que é o oposto da evasão fiscal, a elisão é um conjunto de ações e estratégias para se diminuir a carga tributária e pagar menos impostos estando dentro da lei. Seguindo algumas estratégias bem simples é possível reduzir o pagamento desses encargos na sua empresa. 
No decorrer das publicações foi apresentado uma série de ferramentas gerenciais, como o plano de negócios, por exemplo. Mas um planejamento tributário também é essencial, e muito importante para auxiliar na economia fiscal. Na sua elaboração precisa ter bem definido:
a expectativa de receita bruta ou faturamento do empreendimento;
suas despesas operacionais e com o pessoal;
a margem de lucro;
o histórico da empresa (para saber se houve algum recolhimento indevido de imposto, no caso se a empresa já está em andamento)
Antes mesmo de constituir a empresa com um bom planejamento tributário, o empreendedor pode simular quanto pagará de imposto em cada modalidade tributária, ou seja, se faz opção por operar no Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real. Essa escolha é fundamental, pois todos os regimes tributários têm suas vantagens e desvantagens. Muitas empresas podem pagar além do que deveriam simplesmente por uma escolha de regime desvantajoso. Então fica a primeira dica e na próxima semana teremos mais.

Silvia Barbosa de Melo
(empresária, contadora, mestre em Ciências Contábeis e diretora-proprietária da escola de idiomas CNA)