jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

COMBUSTÍVEL – Não será surpresa para esta coluna se a atividade política deixar de ser prioridade para o combativo vereador Tiago Abra (PP).

Fique Sabendo
23 de junho de 2019
Irmãos Henrique Macetão e André agora são alunos do curso de medicina em Fernandópolis
COMBUSTÍVEL – Não será surpresa para esta coluna se a atividade política deixar de ser prioridade para o combativo vereador Tiago Abra (PP). Adversário ferrenho da atual administração municipal, a quem já chamou de “corja”, Tiago está prestes a assumir o controle de um grande negócio no centro da cidade...

EM NOME DO PAI – O empresário Luís Henrique Moreira, candidato a deputado estadual mais votado nas eleições de 2018 pelo “Podemos”, com 8.248 votos, continua dividindo seu tempo entre as atividades empresariais e a movimentação política.  O dono da LHBorr programou para ontem, dia 22, às 9 horas, no Esporte Clube dos Bancários (ex-Banespinha), um café da manhã com todos os pastores de Jales. Esta política de aproximação com a comunidade evangélica  é a primeira de uma série que ele pretende estender a outro influentes segmentos.

ECUMENISMO – Vale lembrar que, como já informou esta coluna e a bem da verdade, Luís Henrique leva a religião a sério. Ele integra um grupo de oração na Catedral de Jales. Mas, não mistura estações. Para ele, o que vale é a convivência respeitosa com todos os que acreditam na mensagem do Evangelho, independentemente da denominação religiosa de cada um.

 ESTETOSCÓPIO – O vereador Luís Henrique Viotto (PSD) confirmou à coluna o que era especulado nos bastidores da política de Jales. Macetão realmente tornou-se aluno do curso de Medicina da Universidade Brasil, campus de Fernandópolis. 

COMO FOI – O vereador jalesense  garantiu que conquistou uma vaga na medicina da UniBrasil sem recorrer a padrinhos ou usar métodos heterodoxos. O caminho das pedras, assegura,  começou com a disputa por  vagas remanescentes. Ainda de acordo com seu relato, ele ficou entre os 10 melhores classificados de um exame de suficiência que teve outros 500 concorrentes. Como já era graduado em Fisioterapia, o edil jalesense explicou que teve direito a eliminar matérias que lhe permitiram pular etapas. Hoje, cursa o 5º semestre.

SALA DE AULA – Henrique não foi o único Viotto a conseguir vaga no curso de Medicina pelo mesmo caminho. Seu irmão André, ex-vereador e atualmente fisioterapeuta em São Francisco, também tornou-se aluno da UniBrasil. Só que a caminho do terceiro semestre. André foi o presidente da Comissão Processante que resultou na cassação da prefeita Eunice Mistilides, em 2015. Meses depois, uma gravação comprometedora feita por Aldo Nunes de Sá, secretário de Planejamento e homem de confiança da então prefeita, foi o estopim da degola do degolador.

LEI SECA – O deputado estadual Itamar Borges (MDB), corintiano desde que veio ao mundo, perdeu a oportunidade de ficar bem na fita com todas as outras torcidas. Segundo os grandes jornais e redes de televisão, o governador João Dória (PSDB) vetará o projeto de lei de autoria de Itamar, aprovado pela Assembleia Legislativa no dia 13 de junho, liberando a venda de bebida alcoólica em eventos esportivos nos estádios de futebol do Estado de São Paulo. Segundo Dória, o projeto aprovado é inconstitucional.  

LINHA DO TEMPO – O veto no Estado de São Paulo existe desde 1996. A única exceção ocorreu durante no Mundial de 2014 quando a Lei Geral da Copa permitiu a comercialização das bebidas. O projeto de Itamar previa liberação apenas para bebidas com teor alcoólico entre 6 e 9% vol., proibindo assim a venda de uísque, vodca e pinga que, como sabem os bebedores de plantão, são muito mais fortes.

CRONÔMETRO – Como Itamar sempre frequentou estádios, inclusive no tempo em que era chefe da torcida do Santa Fé F.C., que disputava a Segunda Divisão, ele fez questão de ressalvar em sua propositura que as vendas devem ser iniciadas uma hora e meia antes do início da partida e encerradas até uma hora depois, sempre em embalagens plásticas.

RENDA – O deputado de nossa região, na justificativa do projeto, argumentou que a propositura é fruto de uma demanda dos pequenos clubes do interior que passam por crise financeira. “A lei, além de auferir renda durante os jogos, vai auferir patrocínio entre os maiores patrocinadores de futebol”, justificou o parlamentar.

ALTO CLERO – O jalesense Márcio Martins Camargo, nascido e criado em nossa cidade, está chegando lá. Auditor concursado do Tribunal de Contas do Estado, ele já é Substituto de Conselheiro, portanto a um passo de chegar à cúpula daquela corte, como foi possível ver na inauguração da Escola Paulista de Contas Públicas, dia 5 de junho, devidamente registrada pelo site da instituição. Vale lembrar que   os conselheiros do TCE, com base em relatórios dos auditores, emitem os pareceres aprovando ou rejeitando contas dos prefeitos dos 546 municípios paulistas.

QUEM É – Márcio, filho da professora Eneida Martins Camargo e do saudoso professor José Camargo, que dá nome à Fatec de Jales, é graduado em Administração (PUC), com especialização em administração industrial (INPG/Embraer) e MBA em gestão de organizações (USP/Ribeirão Preto).