jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Comboio precisa de reformas para crescer e melhorar o atendimento

A avaliação de alguns feirantes ouvidos pelo Jornal de Jales é de que o movimento foi praticamente igual aos outros dias.
06 de novembro de 2016
As instalações do Comboio exigem uma reforma ampla e urgente segundo os feirantes
O funcionamento do Comboio em dias diferentes das quartas-feiras e dos sábados é uma experiência que vem dando certo e deverá se repetir, como aconteceu no dia 1º de novembro, terça-feira, véspera do Dia de Finados. A avaliação de alguns feirantes ouvidos pelo Jornal de Jales é de que o movimento foi praticamente igual aos outros dias. Essa também é uma avaliação preliminar feita pelo presidente da Associação dos Feirantes de Jales e Região, José Carlos Albaneze, que pretende ouvir melhor os associados, para confirmar a primeira impressão.
Mas para que os consumidores possam ter um local adequado para fazer suas compras, é preciso uma reestruturação daquele espaço que já tem mais de 30 anos e continua do jeito com que foi instalado. José Carlos lembra que se naquela época era um barracão com instalações que até davam um certo ar de modernidade, hoje isso já não acontece. Entre as instalações que exigem maiores cuidados estão a área dos açougues e os sanitários que precisam ser reformados e o próprio galpão que necessita de reparos urgentes.  
É preciso, como destacou José Carlos, passar uma imagem melhor para os consumidores, pois muitos são visitantes dos feriados, sendo que cresce cada vez mais o número de famílias que passam pelo Comboio para fazer suas compras bem cedo, quando estão indo passar os fins e semana nos ranchos ou outros locais da região. São pessoas de bom poder aquisitivo que exigem produtos de boa qualidade, diferenciados e em quantidades maiores. 

EXPANSÃO
Com uma boa reforma, manutenção e limpeza, o movimento dessas pessoas, principalmente nos sábados, certamente será bem maior. Para isso José Carlos já conversou com o prefeito eleito, Flávio Prandi Franco, o Flá, para ver o que pode ser feito, na busca de recursos para criar as condições que o local exige há muito tempo.
José Carlos também acredita que uma reforma poderia incluir um espaço maior para os feirantes, pois a fila de espera para instalação de novas bancas já passa de 60, mesmo sem incluir o produtor rural. A associação sempre procura acomodar quem se enquadra nessa situação, mesmo que seja substituindo algum faltoso, até o pretendente conseguir seu espaço.
Há vários anos a área para os feirantes continua a mesma, com 130 bancas nos sábados de manhã e 100 nas quartas-feiras à tarde. Nos sábados são 230 pessoas trabalhando e nas quartas-feiras cerca de 200, conforme um levantamento feito há menos de um mês.

CONCORRÊNCIA
O Comboio é um espaço diferenciado, por isso o presidente da associação não acredita que a instalação de um supermercado bem ao lado possa atrapalhar o movimento. É outro púbico, como afirma, lembrando que a frequência pode até melhorar, se parte das pessoas que forem ao supermercado resolverem dar uma passada no Comboio, buscando produtos diferenciados. 
Outra diferença, segundo José Carlos, é que atualmente o Comboio passou a ser frequentado cada vez mais por pessoas de maior renda, deixando de ser simplesmente uma feira, como era no seu início. Prova disso é que a crise econômica não chegou a ser sentida pelos feirantes, ao contrário do que vem acontecendo em outros setores da economia. Mas para que esse movimento continue crescendo, é preciso que o consumidor se sinta bem no local em que está fazendo suas compras, o que exige uma reforma ampla e urgente, como afirmou.

por Luiz Ramires