jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

COM a reforma trabalhista que a pretexto de criar mais empregos (o que acabou não acontecendo)...

Contexto
17 de junho de 2018
COM
a reforma trabalhista que a pretexto de criar mais empregos (o que acabou não acontecendo) e que na avaliação de muitos especialistas simplesmente rasgou a CLT, muitas dúvidas ainda persistem e uma delas é a situação do jovem nesse novo sistema imposto pelo mercado de trabalho.
NESSE 

contexto cresce em importância a discussão em torno do trabalho infantil, cuja erradicação é refletida na semana de 12 de junho que em Jales reuniu empresários que aderiram ao programa Jovem Aprendiz em uma ação desenvolvida pelo CREAS (Centro de Referência Especializada em Assistência Social), CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) e CIEE (Centro de Integração Escola-Empresa), junto com a Secretaria de Assistência Social.

O OBJETIVO
dessa e de outras ações é aumentar o número de empresas incluídas no programa que em Jales atende apenas 40 jovens quando poderia atender mais de 100, segundo avaliação da consultora do CIEE, Francine Bottaro, em palestra sobre o assunto.

ESSA
forma regulamentada de se incluir os jovens no mercado de trabalho dentro das condições impostas pelo programa evita problemas como a exclusão desses jovens, principalmente em condições de vulnerabilidade social, mas principalmente a exploração dos mesmos em condições de precariedade e exploração, quando não deixam os mesmos nas ruas se virando como podem para ajudar a família.

QUANDO
o governo “flexibiliza” as condições de trabalho, retirando direitos e impondo novas regras de contratações, essa reflexão passa a ser importante para que os jovens não sofram as consequências de uma situação que pode se estender para as formas de exploração de menores em busca de oportunidades de trabalho e experiência fora do horário escolar.

ASSIM,
na contramão de algumas decisões oficiais, a erradicação do trabalho infantil passa a ser prioridade para estas instituições preocupadas com uma situação que precisa ser combatida com ações como essa, procurando incluir mais empresas em um programa sério de valorização desses jovens. É por isso que o 12 de junho é uma data tão importante que precisa ser refletida por toda a população. (Luiz Ramires)