jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

COM a recuperação das ruas e avenidas da cidade já não se pode mais dizer que as vias jalesenses têm mais buraco que asfalto ou que ainda tem um pouco de asfalto no buraco.

Contexto
06 de novembro de 2017
COM
a recuperação das ruas e avenidas da cidade já não se pode mais dizer que as vias jalesenses têm mais buraco que asfalto ou que ainda tem um pouco de asfalto no buraco.

EM
menos de um ano, com o uso racional dos recursos de empréstimo e de emendas parlamentares, a atual administração conseguiu o que há muito se aguardava: deixar as ruas em condições de tráfego. 

A PREFEITURA
informa que foram mais de R$ 7 milhões investidos, no que considera ainda a primeira fase de um trabalho que deve continuar em 2018, até que todos os bairros da cidade sejam atendidos, ou seja, existe ainda um longo caminho para deixar as coisas em ordem.

ESSES
recursos foram suficientes para atender as necessidades de recapeamento de boa parte da área central e 22 bairros que estavam em condições mais precárias, enquanto os outros locais vão sendo atendidos, na medida das necessidades de recuperação de cada um.  

NA VERDADE
essa escala de prioridades faz parte de um trabalho permanente, mesmo porque buraco nunca vai deixar de existir, pois se tampa um aqui, logo vem as chuvas que abrem outro ali, exigindo recapeamento ou pelo menos uma manutenção básica, inclusive com auditoria, ouvindo as reclamações.

PARA
isso o prefeito Flávio Prandi Franco e sua equipe precisam ficar ligados nas oportunidades de mobilização dos representantes do povo no Legislativo, em nível estadual e federal, para a liberação de novos recursos, pois os que existiam já estão sendo aplicados, embora exista alguma gordura para ser queimada, de emendas parlamentarem que ainda não foram liberadas. 

TAMBÉM
deve ser destacado que junto com o asfalto vem a reforma da sinalização de solo, contribuindo para evitar acidentes e multas para os menos avisados, principalmente que chegam de outras cidades e precisam ser bem informados para evitar problemas. (Luiz Ramires)