jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Catador encontra celular de comunicador em lixeira e entrega na delegacia

por Luiz Ramires
09 de junho de 2019
Marcelo Marcondes: amplo sorriso agora depois de um fim de semana de preocupação
Um celular avaliado em R$ 2 mil foi encontrado em uma lixeira por um catador de material reciclável de 72 anos que decidiu entregá-lo na Central de Polícia e depois ficou sabendo que o dono do aparelho era o radialista Marcelo Marcondes, locutor do Jornal do Povo, da Rádio Assunção.
Marcelo disse que ficou surpreso com o caráter e a decisão tomada pelo catador que em vez de ficar com o aparelho resolveu entregá-lo à polícia para que seu dono pudesse ser localizado.
O radialista disse que o fato aconteceu no sábado, dia 31de maio, quando jogou o celular que estava em uma sacola pensando tratar-se de uma embalagem onde tinha colocado um pedaço de pizza que pegou na geladeira de sua casa para comer durante a viagem que iria fazer para Borborema.
Ele disse que colocou pizza em uma sacola e pediu para sua mulher ir dirigindo, pois tinha trabalhado durante todo o período da manhã. Na saída, o casal resolveu parar para comer alguma coisa no centro da cidade e quando ele desceu do carro achou melhor jogar a sacola em uma lixeira, sem perceber que o celular estava junto com o pedaço de pizza.
Depois de comer um salgadinho, voltou para o carro passando ao lado da lixeira, sem ver o celular, mesmo tendo abastecido o carro em um posto naquele local.

PREOCUPAÇÃO
Na viagem, não demorou muito para ele dar pela falta do celular, quando ficou preocupado, sem saber onde havia deixado o aparelho, principalmente porque tem a mesma linha há 15 anos. Logo veio a ideia de que teria jogado o mesmo na lixeira.
Houve uma coincidência pelo fato dele voltar para a lixeira para procurar o aparelho e ver um homem no local, catando o material reciclável, mas resolveu não incomodá-lo e voltou para casa, para tentar achar o mesmo. Ele acredita que seja o mesmo senhor que entregou o celular na delegacia.
Marcondes ainda tentou ligar para o celular, mas deu um endereço que ele achava não ser possível estar lá. Mesmo assim ele foi até o local, mas não o encontrou e desistiu de procurar, quando decidiu seguir a viajem.
Em Borborema ele continuou insistindo até achar um aplicativo quando conseguiu rastrear o seu celular pelo de sua esposa. Isso às 23h30, quando percebeu que o endereço era o da delegacia. No dia seguinte ele ligou para a polícia, mas quem atendeu disse que não sabia onde o aparelho se encontrava.
Ele só conseguiu pegar o celular quando chegou de volta a Jales, no domingo, por volta das 20 horas, e foi direto para a delegacia. Lá e confirmou que havia um boletim de ocorrência registrando a entrega do aparelho e precisou fazer um adendo de devolução.
O radialista disse que ficou muito emocionado pois só ficou sabendo que o celular havia sido entregue na polícia por um catador de 72 anos no momento em que foi buscar o aparelho. (L.R.)