jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Caso de chikungunya reforça combate ao aedes aegypti

por Luiz Ramires
11 de novembro de 2018
A Secretaria de Saúde lembra que a população deve ficar alerta para evitar a proliferação do Aedes Aegypti

A confirmação de um caso de chikungunya contraído no município colocou em alerta a equipe da Secretaria de Saúde da Prefeitura que reforçou o trabalho de prevenção aos focos do mosquito aedes aegypti, transmissor dessa e de outras doenças, como dengue, zika e febre amarela.

A população está sendo mais uma vez alertada sobre o aumento dos riscos dessas doenças e os cuidados que devem ser adotados para impedir a proliferação do mosquito que em anos anteriores provocou epidemias de dengue não só em Jales mas em todo o estado e o país.

A Vigilância Epidemiológica informou que a vítima da chikungunya é uma criança que está sendo acompanhada pela Unidade de Saúde responsável pelo bairro onde ela reside. Setor de Combate a Endemias tomou todas as medidas antes mesmo da confirmação do caso.

O trabalho dos agentes inclui ações de controle ao aedes como bloqueio de criadouros, bloqueio com nebulização em casos positivos, visitas em imóveis especiais, atendimento a notificações e realização de visitas casa a casa, além de orientações constantes sobre as doenças transmitidas pelo mosquito e os cuidados para prevenção.


DENGUE

Outro dado que chama a atenção é o número de casos positivos de dengue: foram registrados 36 casos em período sem chuvas. Conforme explicou a coordenadora da Equipe Municipal de Combate às Endemias, Vanessa Luzia da Silva Tonholi, com as altas temperaturas e chuvas frequentes dos últimos dias a proliferação do mosquito aumenta, já que ele encontra condições e de clima e temperaturas ideais para a sua reprodução. “É preciso que todos os moradores tenham a consciência da situação e adotem as medidas diárias de verificar e eliminar recipientes que acumulem água, dando atenção ainda maior principalmente em períodos chuvosos”, pondera Vanessa.


SINTOMAS

De acordo com o Ministério da Saúde, os principais sintomas da chikungunya são dor de cabeça moderada, manchas vermelhas, febre alta, coceira leve, dor muscular e inchaço nas articulações.

Em geral, a chikungunya tem evolução favorável e o paciente se recupera sem comprometimentos à saúde. A orientação da Secretaria de Saúde é que ao apresentar os sintomas, o paciente procure um serviço de saúde e não tome medicamentos por conta própria.


PREVENÇÃO

A melhor forma para se combater a dengue, a chikungunya e o zika vírus, é eliminando os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito Aedes aegypti. Por isso, é necessário:

- Manter bem tampados: caixas d’água, tonéis e barris de água;

- Colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira sempre bem fechada;

- Não jogar lixo em terrenos baldios;

- Guardar garrafas de vidro ou plástico e mantê-las sempre de boca para baixo;

- Não deixar água de chuva acumulada;

- Encher pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda e lavá-los com água e sabão toda semana;

- Ao guardar pneus velhos em casa, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva;

- Limpar calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água;

-  Limpar periodicamente vasilhas de água dos cães e gatos;

- Lavar semanalmente por dentro com escova e sabão os tanques utilizados para armazenar água.