contato@jornaldejales.com.br
17 3632-1330

Carnaval 2020 e Educação: Lição 1, Águia de Ouro

Por Ayne Regina Gonçalves Salviano
01 de março de 2020
Ayne Regina Gonçalves Salviano
Como acontece todos os anos, São Paulo divulgou primeiro, na tarde dessa terça-feira (25), o resultado do desfile das escolas de samba. A vencedora deste ano foi a Águia de Ouro que homenageou o filósofo e educador brasileiro Paulo Freire. 
O tema do samba enredo era “o poder do saber”, ideia divulgada pelo filósofo inglês Francis Bacon desde o final dos anos 1500. Eis alguns versos do samba enredo campeão: “Águia, em suas asas vou voar/E no caminho da sabedoria/Páginas da história desvendar... Em cada traço que rabisco no papel/Vou desenhando o meu destino/No horizonte vejo um novo alvorecer/Ao mestre meu respeito e carinho...”
Para quem não sabe, Paulo Freire, o mestre citado nos versos, é o patrono da educação brasileira. Ele nasceu em Recife em 1921. Morreu em São Paulo em 1997. Formado inicialmente em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, mais tarde revolucionou a pedagogia do país e do mundo ao introduzir a ideia de uma escola democrática.
Neste modelo, professores e alunos dividem saberes numa forma horizontal balizando uma nova relação entre educador e educando. A ideia é promover a educação de uma perspectiva crítica e autônoma com o objetivo de formar cidadãos capazes de transformar a realidade em que vivem porque aprendem a partir dos seus conhecimentos e não de um método fora da realidade deles.
Pelo seu trabalho, Paulo Freire é o brasileiro mais homenageado da história até hoje. Recebeu 35 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades da Europa e de toda a América, além de um prêmio da Unesco por promover a educação e a paz. Segundo sites de pesquisa, seu livro “Pedagogia do Oprimido” é a terceira obra mais citada nas pesquisas da área de Humanas. Só perde para “Vigiar e Punir”, de Michel Foucault, e “O Capital”, de Karl Marx.
 Mas, por suas ideias estarem aliadas a dar o conhecimento como forma de poder às minorias, Paulo Freire tem seu nome rejeitado por grupos de direita. Foi, inclusive, chamado de “energúmeno” recentemente. A palavra, de origem grega, significa “alguém possuído pelo demônio”, explicou a revista Galileu Galilei em publicação à época.
No que acreditar? Paulo Freire era bom ou não? Quem o ataca está certo ou errado? Na dúvida, apelemos para Francis Bacon e sua célebre frase “saber é poder”. Assim, antes de tomar partido, conheça as obras e o trabalho de Paulo Freire. Depois, leia todas as críticas que fazem a ele. Então, com conhecimento de causa, você estará pronto para opinar. Caso contrário, corre o sério risco de ser enganado.

Ayne Regina Gonçalves Salviano 
(é jornalista, professora e gestora educacional da Damásio Educacional e Criar Redação em Araçatuba