jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Câmara homenageia personalidades com Medalhas 15 de Abril e título de cidadania

por Luiz Ramires
22 de abril de 2018
Os homenageados: Genésio, Fábio, Rui, Caio e Alcides
Em sessão solene realizada no dia 18 de abril, quarta-feira, a Câmara Municipal de Jales realizou a entrega de quatro Medalhas 15 de Abril e um título de cidadania. As medalhas foram entregues aos empresários Alcides Oliveira Fernandes e Fábio Amadeu, ao professor Rui Rodrigues de Souza e ao advogado Caio Augusto Silva dos Santos, secretário-geral da Seção de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil. O advogado Fábio Romeu Canton Filho, vice-presidente da OAB-SP, que também receberia a medalha enviou ofício comunicando que não poderia comparecer. O título de cidadão jalesense foi entregue ao historiador e memorialista Genésio Mendes Seixas.

OS HOMENAGEADOS
O empresário Alcides de Oliveira Fernandes recebeu a Medalha 15 de Abril como reconhecimento pelo sem empreendimento na área de supermercados, com uma unidade instalada em Jales, contribuindo para a geração de empregos e recursos para o município.
Fábio Amadeu teve seu reconhecimento pela sua atuação principalmente no setor imobiliário, com destaque para o loteamento Jardim Elisa, com um projeto inovador e a construção do Edifício Murano, no centro de Jales que segundo os vereadores, certamente motivará outros empresários a também investir em edificações verticalizadas na região central.
O professor Rui Rodrigues de Souza foi homenageado com a Medalha 15 de Abril pelos seus relevantes serviços e incentivos prestados à cultura em Jales, na condição de artista plástico, compositor, músico, poeta, ator, cenógrafo e chargista.
O advogado Caio Augusto Silva dos Santos foi homenageado com a Medalha 15 de Abril pelos relevantes serviços prestados ao município de Jales, especialmente na condição de ex-presidente da Comissão de Assistência Judiciária da OAB/SP, facilitando o acesso dos menos favorecidos ao Poder Judiciário.  
O historiador Genésio Mendes Seixas foi o único a ser homenageado com o título de cidadão jalesense, pela sua participação no registro da história de Jales, tendo escrito diversas obras sobre o assunto, além de artigos e outros documentos, com destaque para sua contribuição no Projeto Memória, do Jornal de Jales. 

A MEDALHA
A Medalha XV de Abril é um reconhecimento concedido pela Câmara a pessoas que se destacam por atos de coragem, altruísmo, notável sucesso profissional ou relevantes serviços prestados ao município de Jales. Para que uma medalha seja concedida, é preciso que um Projeto de Decreto Legislativo seja apresentado por pelo menos um terço dos vereadores e aprovado com voto de dois terços dos membros da Câmara.

O TÍTULO
O título de cidadão jalesense é destinado a pessoas que reconhecidamente tenham prestado relevantes serviços ao município. Para conceder a honraria, um projeto de decreto legislativo deve ser apresentado, votado e aprovado pelo voto de dois terços dos vereadores.
A cerimônia contou com a presença dos vereadores Vagner Selis (presidente da Câmara), Adalberto Francisco de Oliveira Filho, Bismark Kuwakino, Fábio Kazuto Matsumura, João Valeriano Zanetoni, Tiago Abra e Vanderley Vieira dos Santos, além do prefeito Flávio Prandi Franco, autoridades, convidados e familiares dos homenageados.

Versos de um homenageado

No final do seu pronunciamento, o professor Rui Rodrigues de Souza leu um poema que fez sobre a Medalha 15 de Abril, recebendo calorosos aplausos da plateia:

Medalha 15 de Abril
Ela pode não se um Grammy Latino,
Ela pode não ser um Oscar hollywoodiano,
Ela pode não ser um Prêmio Nóbel,
Ou como queiram os senhores, um Prêmio Nobel,
Repleto de pompas e circunstâncias,
De extremadas saliências e relevâncias,
Mas, o fato é que agora ela é nossa, somente nossa,
Pois, foi-nos dada, concebida, outorgada como prêmio,
Como homenagem, como um significante troféu...
Ela não é de ouro, eu sei, nem de prata,
É, porém, uma singela obra de arte, mesmo que artificial, mesmo que industrial, moldada, cunhada, trabalhada em bruto metal, tal e qual, em papel, um engendrado e belo poema,
Tal e qual em tela, em painel, uma obra prima pintada a pincel,
Que simbolicamente nos cai como uma coroa de louros,
Fazendo-nos sentir como guerreiros romanos, vitoriosos diante de um arco triunfal,
Inflando de brio nosso ego, nosso narcisismo astral,
Nos dando asas para sonhar e livremente poder voar como um pássaro condor andino,
Permitindo-nos, em pensamento, alcançar as mais altas montanhas,
Em pensamento, dançar por entre as estrelas,
Em pensamento, tocar as portas do Sol, ultrapassando os limites do universo e explorar as belezas e plenitude do Céu.

Fotos: Josiane Bomfim