quinta 22 outubro 2020
Polícia

Caixa bloqueia 2 milhões de contas do Auxílio Emergencial

A Caixa tem hoje 2 milhões de contas de Auxílio Emergencial bloqueadas por suspeitas de fraudes. São duas as maneiras principais de praticar o crime. A primeira trata de invasão similar a do caso de Vinícius, filho de William Bonner, da TV Globo. Os hackers entram no celular de alguém não cadastrado no programa, inscrevem essa pessoa e recebem os R$ 600 em seu lugar.

A segunda maneira frauda o celular de desempregado já inscrito no benefício. E rapidamente descontam o dinheiro no nome da vítima. “Quando ela acessa a Caixa para usar seus R$ 600 reais, vê que está bloqueada e é informada que o valor previsto foi sacado”.

O que fazer nesse primeiro caso? Difícil, mas se a pessoa conseguir perceber, a sugestão é denunciar imediatamente. A fraude é encaminhada para a Polícia Federal. Caixa e PF estão tendo reuniões diárias sobre essas fraudações.

Segundo caso: o procedimento também é a denúncia e o banco encaminha para PF. Comprovada a fraude – atenção, há casos de auto fraude – a Caixa assegura que o beneficiário recebe o dinheiro no prazo de 10 dias.

REGIÃO

Conforme informou o Jornal de Jales na edição de 5 de julho, após pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal está investigando se o auxílio emergencial concedido pelo governo federal foi pago a moradores da região de Jales, no interior de São Paulo, que não têm direito ao benefício.

As averiguações têm como objetivo identificar tentativas de fraude, que caracterizam crime de estelionato majorado, previsto no Código Penal (artigo 171, §3º).

Para evitar problemas, até mesmo no âmbito judicial, a orientação é que os cidadãos façam a devolução espontânea do montante que eventualmente tenham recebido de forma indevida. O governo federal disponibilizou um endereço eletrônico para esse tipo de devolução, cujo formulário está disponível aqui.


Desenvolvido por Enzo Nagata