domingo 05 abril 2020
Empreendedorismo

Bug ou Insigth

Bob Proctor é um dos mais conceituados e conhecido nome no mundo dos coaching, ele se especializou em ajudar pessoas na área de desenvolvimento pessoal. Lendo uma de suas matérias, vi a citação de um livro escrito em 1970 por Alvim Tofller, cujo o título é: “O Choque do Futuro”, nesse livro o autor fez previsões do que aconteceria em 40 ou 50 a frente, ou seja, agora para o século 21. Ele disse: o futuro será um choque para muitas pessoas, e realmente é.
Há cinquenta anos quem podia imaginar que uma mensagem escrita num aparelhinho que cabe na palma da mão, seria disparada para qualquer canto do mundo e visualizada simultaneamente? 
Toffler disse ainda:  os analfabetos do século 21 não serão as pessoas que não sabem ler e escrever, mas sim, aqueles que não serão capazes de aprender, desaprender e reaprender. 
Com tantas informações e tecnologias tem momentos que ficamos preocupados e pensamos: meu Deus e agora!  Buguei ou tive um Insight?
Bug é um erro ou defeito no funcionamento de um hardware ou software, pois há muitos anos um inseto entrou dentro do primeiro computador e casou vários problemas e atualmente é um termo muito usado quando ficamos lerdos e, Insigth quer dizer, clareza súbita na mente, no intelecto de um indivíduo; iluminação, estalo, luz.  
Mas o que isso tem haver com o empreendedorismo, Bob Proctor e Alvin Toffler? Tudo. 
Quem tem filhos jovens tenho certeza que vive a angústia, medo e incerteza sobre as horas e horas que eles passam jogando. Aqui em casa não é diferente, e depois de muitos questionamentos e tentativas de mudança vi que não evolui nas negociações. Então resolvi desaprender, reaprender e conhecer o mundo do meu filho, por isso, passei uma noite em claro para conhecer mais sobre o jogo LOL ( League  of Legends).
Li no Jornal de Jales várias matérias nas quais o professor Jorge Luís Gregório (4ª parte), estava justamente explicando sobre as profissões do futuro e mencionou o jogo LOL e sua movimentação milionário no mundo dos empreendedores. Observei a importância da matéria sobre a escolha de uma boa universidade seja pública ou privada, escrita pelo professor Eduardo Britto, a explanação da professora Ayne Salviano que a independência feminina (ou qualquer outro tipo de independência “opinião minha”) não está vinculada as Jasmines submissa aos Aladdins e ainda o editorial sobre a inovação do preenchimento no formulário digital em que o contribuinte pode definir uma obra na sua rua, bairro ou cidade. 
Essas e tantas outras informações que temos no dia a dia serve para refletirmos e ver quantas coisas temos para aprender, assimilar, aceitar e conviver. Como podemos julgar, criticar ou causar atritos se o mundo está tão acelerado.
Há 50 anos Tofller foi inspirado a dizer a frase sobre os analfabetos do século 21, por que viver é esse desafio diante das mudanças, e só poderá enxergará novos empreendimentos, escolher novas profissões, ter boas universidades, viver compassivamente com as diferenças e participar de decisões políticas quem estiver aberto para desaprender e reaprender. Dessa forma poderá ser livre, independente e tornar-se uma Madison Jade, com firmeza, consciência e estrutura. Com certeza pessoas assim nunca será uma Jasmine submissa a qualquer fato, ou analfabeta da realidade.
Eu tive o privilégio de ver o mundo dos games com meu filho, conhecer o que está por trás de tudo, o que movimenta, o que os atrai, o que os estimula e o que os prende por horas e horas. Foi uma ótima experiência para nos entendermos.

Silvia Barbosa de Melo
(empresária, contadora, mestre em Ciências Contábeis e diretora-proprietária da escola de idiomas CNA)
Desenvolvido por Enzo Nagata