Opinião

Brasil, França e Amazônia

A floresta amazônica foi e continua sendo alvo de ataques de todos os tipos de pessoas: ambientalistas, governantes, etc. Essa “crise” dos incêndios na Amazônia serviu de  palanque para “ duas bestas quadradas” - Emmanuel Macron e Jair Bolsonaro. Confidencio  aos leitores que ecologia é um assunto que não tenho domínio e não me interessa. Tempos passados tinha paciência com esse assunto, mas desculpem dizer que “estou nem aí a esse respeito”. 
Cheguei a essa conclusão por um certo tempo me meti no topo do extremo do mundo, cheguei ao resultado que o nosso planeta é tão grande e extraordinariamente dinâmico, que é tão poderoso, mas muito acima de qualquer ação humana, sobre os desertos, geleiras, aguas, vegetações e  montanhas, e com isso não caio na pilha de discursos de ambientalistas fanáticos. 
Se você assiste ao NETFLIX, assista ao filme “One Strange Rock”, onde o astronauta está em órbita e de lá apresenta a imensidão e maravilhoso Planeta Terra. 
Engana-se, mas a Europa não está nem aí com Brasil e a Amazônia, ela só quer saber de si, de trabalho, desenvolvimento e constante progresso. Vale lembrar que a Europa é o maior berço dos ambientalistas financiados pelos loucos progressistas, famosos e ricos mundiais, com sentimento de culpa, mas geram bilhões de dólares para esses “panacas” catastrofistas anunciarem o fim do nosso Planeta. 
Os europeus defendem como nunca suas terras e riquezas como ninguém no mundo. Durante séculos se mataram a si mesmos, com guerras sangrentas disputando fronteiras. As duas grandes guerras mundiais foram fomentadas em solo europeu, por questões geopolíticas. Quando uma região poderosa na agropecuária, a Europa não deixa barato, e nunca deixou. A União Europeia fez um acordo de livre comércio assinado pela maioria, mas que em sua redação não reza o protecionismo francês ai se torna uma ameaça e tanto! Foi isso que deu o chamado “chilique” no presidente francês - Macron – porque o continente sul-americano representa uma ameaça ao comércio francês no setor da agropecuária, e o nosso presidente respondeu com criticas severas ao presidente da França. O nazismo, comunismo, fascismo e totalitarismo, são invenções europeias. 
O velho continente contribui para nós, o resto do mundo, com as maiores atrocidades da história, sendo comparável ao legado genial nas artes, cultura, música, cinema, medicina, tecnologia, econômica e assim vai. 
Então só no resta entender que a Europa não é o céu nem o inferno, e não pode agora posar de Dona do Mundo e da razão. Nosso presidente está firme no seu propósito de tornar nosso país viável, mas aqui entre nós, ele é um incendiário com suas ideias e frases. Podemos dizer que é um tosco belicoso que não faz diferença entre a arquibancada do Maraca e o plenário da ONU. Teve a maior oportunidade de acabar com esses “bochichos”. Em vez de demonstrar com dados e fatos que as queimadas estão na mesma média dos últimos 15 anos, partiu para a porrada e chute na canela. Deixou de demonstrar que nosso país não está queimando demais, e caiu no jogo que interessa aos protecionistas europeus, que tentaram anular o Acordo de Livre Comércio. 
Se tocássemos fogo na Amazônia como Nero o imperador romano tocou em Roma, quem sabe daqui uns 500 anos, teríamos consumidos um “culionésimo” da sua área verde. Se forem nesse ritmo atual dos últimos 50 anos, sabe o que aconteceria com a flora, o solo, a fauna, subsolo, biodiversidade e tantos outros sei lá o que. Absolutamente, nada!.

Osmar Gabriel
RG 8.320.382
Desenvolvido por Enzo Nagata