jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

BOLA DA VEZ – O deputado federal Elmar Nascimento, líder do DEM na Câmara Federal, ganhou meia página no jornal O Estado de S. Paulo, edição de domingo, dia 14.

Fique Sabendo
21 de julho de 2019
Elmar Nascimento, líder do DEM na Câmara Federal, deu entrevista ao Estadão prevendo que Rodrigo Garcia, campeão de votos em Jales, será o próximo governador de São Paulo
BOLA DA VEZ – O deputado federal Elmar Nascimento, líder do DEM na Câmara Federal, ganhou meia página no jornal O Estado de S. Paulo, edição de domingo, dia 14. O título foi altamente sugestivo: “O líder que esboça o projeto de poder do DEM”. Em certa altura do extenso texto, ele se referiu às perspectivas do partido para o futuro próximo e acabou enchendo a bola de Rodrigo Garcia, o deputado federal mais votado na história de Jales.

O CARA – Segundo Elmar, que é da Bahia, “o Doria está muito determinado a ser candidato a presidente, o que fará o DEM, com Rodrigo Garcia, assumir o governo de São Paulo”. E referindo-se diretamente a Rodrigo, ele pontuou: “Ele é muito perspicaz, capacitado, dedicado, terá influência, e é projeto nosso que vá para uma reeleição”. 

PAZ E AMOR – Leitor do J.J. há anos, o professor Paulo César Turazza, lotado na Rede do Saber, passou pelo comentarista e comentou: “você acertou mais uma vez”. Ele se referia a nota publicada por esta coluna há três semanas, antecipando que o vereador Tiago Abra (PP), o mais ferrenho adversário da atual administração municipal, iria dedicar menos tempo à atividade política e mais aos negócios, pois acabara de adquirir um posto de combustíveis. A se julgar pela última sessão ordinária, tudo indica que Tiago deixou de lado seu projeto político, que era ser prefeito de Jales. A propósito, ele disse ao comentarista que está muito satisfeito com o aumento do movimento do “Posto Universitário”.

PREMONIÇÃO – O Simpósio “30 anos de Constituição – Combate à Corrupção”, iniciativa do Ministério Público Federal em Jales com o apoio da Subseção da OAB, em agosto do ano passado, antecipou, de certa forma,  o questionamento a que está sendo submetida a Operação Lava Jato por força da publicação de diálogos pelo site “Intercept Brazil” envolvendo o ex-juiz Sérgio Moro, o  procurador Deltan Dellagnol e outros integrantes da chamada “república de Curitiba.

RETROVISOR – Como se recorda, a organização do simpósio escalou como palestrantes dois representantes do Ministério Público Federal e dois da Ordem dos Advogados do Brasil. No período da manhã, falaram o advogado Guilherme Batocchio, do Conselho Federal da OAB, e o subprocurador geral Douglas Fischer. À tarde, ocuparam a tribuna do evento o advogado Gustavo Badaró, professor da Faculdade de Direito da USP,  e o ex-Procurador Geral da República, Rodrigo Janot.

TIROTEIO- Do início ao fim do simpósio, em maior ou menor grau, o clima foi de confronto. Batocchio, o primeiro a falar, atacou duramente os métodos da Operação Lava Jato, insinuando que, em Curitiba, as prerrogativas dos advogados eram desrespeitadas e havia uma pressão disfarçada  por parte dos procuradores para obrigar os réus presos a fazerem  delações premiadas. A reação do procurador Fischer foi igualmente vigorosa. Ele deixou de lado o roteiro do tema que iria abordar e rebateu em termos duros as afirmações do advogado.

ESGRIMA – Após o intervalo para o almoço, Badaró e Janot também mediram forças em termos de conceitos jurídicos. Eles defenderam posições antagônicas , mas sem a agressividade dos dois contendores do período da manhã. Janot, que vivia momentos de popstar, chegou a dar autógrafos para advogados e estudantes de Direito , que pagaram para assistir ao simpósio, cuja renda líquida foi destinada à Santa Casa, Apae e Lar dos Velhinhos. 

LIBERDADE – A propósito, segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo,  Gustavo Badaró, que enfrentou Janot em Jales, integra o grupo de advogados e juristas que estiveram reunidos com o jornalista Glenn Greenwald, editor do site Intercept Brazil, que vem causando dissabores aos cabeças da Lava Jato.  Eles estão criando um Comitê pela Liberdade de Imprensa. Além de Badaró, outros pesos-pesados como Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, Alberto Toron e Juarez Tavares, integram o colegiado.

ESCUDO –Ainda de acordo com a coluna Painel, a ideia é acompanhar de perto eventuais atos de força contra o jornalista. A ABI (Associação Brasileira de Imprensa) indicou um observador. 

LINHA DE TIRO – Por falar em juristas, o Conselho de Ética do PSB abriu processo contra os 11 deputados da legenda que votaram a favor da reforma da Previdência na semana passada, contrariando decisão do Diretório Nacional do Partido. Entre os processados, está o deputado federal Luiz Flávio  Gomes, um dos mais respeitados juristas do país, muito bem votado em Jales na eleição do ano passado, companheiro de dobradinha do Delegado Sakashita, candidato a deputado estadual. Os deputados considerados “infiéis” poderão ser punidos com advertência, suspensão ou até expulsão. Quando algum jornalista o aborda sobre o processo, LFG diz que está tranquilo.