jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Boas Festas de Ano Novo

O que lembram quando lêem o título acima?
08 de janeiro de 2012

 

O que lembram quando lêem o título acima? 
Saudades da infância, esperava ansiosamente o dia primeiro de janeiro(domingo), bem cedinho, para pedir boas festas de ano novo em toda vizinhança, tudo para ganhar balas, doces, dinheiro, tantas guloseimas, essa era minha diversão. Eu ganhava em média 500 balas e pirulitos, em casa tinha bala para uns quatro meses, sem contar o dinheiro que, para mim um real era muito. Como era bom!
O que me deixa mais feliz é saber que essa cultura ainda existe, pelo menos no bairro em que moro. Todos os anos escuto as crianças gritando “ feliz ano novo, boas festas de ano novo” e esperando que alguém saia de casa para presenteá-las. 
Foi ouvindo os gritos de alegria dos pequenos que despertou a curiosidade de saber como surgiu esse costume. Por que as crianças vão as ruas desejar boas festas em troca de doces? 
De acordo com pesquisas, provavelmente essa tradição tenha vindo da Europa com os imigrantes portugueses, espanhóis e italianos. Segundo o historiador Sérgio Gonçalves, a teoria mais aceita é a de que tenha nascido na Idade Média, quando as crianças saiam da missa desejando um “bom princípio de ano” e, como agradecimento, ganhavam dinheiro para comprar doces.
Essa tradição vem sofrendo alterações no decorrer dos anos. De bolos caseiros, passou a ser balas, pirulitos, e dinheiro. Em cidades grandes, dificilmente vemos esse costume, pois com os altos indíces de violência, muitos pais poupam seus filhos de sair de casa para realizar esse “ritual”. Alguns adultos adoram presentear as crianças, outros não querem nem saber de alegrá-los. 
Não deixemos morrer esse espírito de ano novo, solidariedade, compaixão. Vamos tentar manter essa tradição por muitos anos e incentivar filhos, netos e bisnetos, é tão bonito ver a alegria e a empolgação dos pequenos quando chega essa data. 
 
 Carol Guzzo
(www.jornalismoeoutros.blogspot.com)