quarta 14 abril 2021
Editorial

Barrados no baile

Não se trata de bairrismo burro, mas não foram poucos os moradores de nossa cidade que estranharam a ausência do nome de Jales no noticiário sobre reunião on-line realizada pelo LIDE Noroeste Paulista, dia 26 de janeiro, em São José do Rio Preto, no lançamento do Projeto “Pra Frente Noroeste – Pautas para o Desenvolvimento Regional”.

O material veiculado nas redes sociais antes do encontro virtual informava que foram convidados para o encontro, por ordem alfabética, os prefeitos eleitos de Andradina, Araçatuba, Birigui, Catanduva, Fernandópolis, Mirassol, Olímpia, Penápolis, São José do Rio Preto e Votuporanga.

Para quem não sabe, o LIDE, sigla pela qual é conhecido o Grupo de Líderes Empresariais, fundado no Brasil em 2003, é formado por lideres de corporações nacionais e internacionais que se preocupam em sensibilizar o empresariado brasileiro para a importância de seu papel na construção de uma sociedade ética, desenvolvida e consciente, através de unidades regionais, internacionais e setoriais, totalizando 40 frentes de atuação.

Ainda de acordo com o noticiário em variadas plataformas, inclusive na televisão, que foi onde a maioria viu e estranhou a falta do nome de Jales, os administradores municipais conheceram 10 pontos elencados por empresários como prioridades para o avanço econômico da região: Porto Seco, Incentivo ao Empreendedorismo, Aeroporto Internacional e de Cargas, Déficit no Setor de Oncologia, Município Verde Azul, Turismo Integrado, Smart Cities, Impacto das Reformas nos Municípios, Educação Conectada.

Segundo Marcos Scaldelai, presidente regional do Lide, “tais assuntos foram propostos por empresários que vivenciam inúmeros desafios e que estão dispostos a transformar a realidade do Noroeste Paulista, tornando as cidades mais inteligentes e fazendo a nossa região referência em desenvolvimento para o Brasil”.

Os empresários cobraram ainda dos prefeitos participantes união para acelerar a retomada da economia e o compromisso de não aumentar impostos e enxugar a máquina pública.

Como gosta de dizer, com 43 anos de vida pública, tendo sido prefeito de sua cidade natal, Santa Fé do Sul, e estar no quarto mandato como prefeito da capital da região, São José do Rio Preto, Edinho Araujo aproveitou a bola levantada e cravou: “este evento aconteceu em uma boa hora, pois precisamos retomar o desenvolvimento, atrair empresas e mostrar para o Brasil e para o mundo nosso potencial na saúde, educação e cultura”.

    Se o evento aconteceu em boa hora, como observou Edinho, não dá para entender a falta de convite ao prefeito de uma cidade como Jales que tem 100% de água e esgoto tratados,portanto índices de Primeiro Mundo, é servida por rodovia duplicada, está localizada a 40 quilômetros das fronteiras dos Estados de Mato Grosso do Sul e Minas Gerais que dão acesso a Goiás e Mato Grosso, é porta de entrada da Região dos Grandes Lagos com seu extraordinário potencial turístico, tem hospital geral que serve cidades em seu entorno e de estados vizinhos, hospital especializado em oncologia que atende boa parte do Brasil, além de escolas de nível superior inclusive públicas.

 Por estas e outras razões, é inexplicável o que aconteceu. Porém, de qualquer forma, o engajamento no Projeto “Pra Frente Noroeste” é absolutamente imprescindível sob pena de Jales perder o bonde da história.


Desenvolvido por Enzo Nagata