jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

AUDITORIA – Disposto a passar a limpo a administração municipal depois do tsunami decorrente da Operação Farra no Tesouro deflagrada pela Polícia Federal na manhã de terça-feira, dia 31de julho ..

Fique Sabendo
05 de agosto de 2018
Maria Aparecida Moreira Martins, ex-secretária municipal de Saúde: 30 anos de ficha limpa na rede estadual
AUDITORIA – Disposto a passar a limpo a administração municipal depois do tsunami decorrente da Operação Farra no Tesouro deflagrada pela Polícia Federal na manhã de terça-feira, dia 31de julho, o prefeito Flávio Prandi Franco (DEM) decidiu investir na contratação mediante processo licitatório de uma empresa independente de auditoria. Segundo fonte da coluna próxima ao gabinete prefeitural, o objetivo é evitar a repetição dos fatos como os que levaram Jales de forma negativa para o noticiário nacional. 

JUNTAR OS CACOS – Ainda de acordo com fonte da coluna, os auditores independentes serão orientados pelo prefeito a fazer um pente-fino em todas as secretarias não somente para descobrir eventuais falhas de controle e fiscalização como também para orientar os gestores e, se for o caso, alterar seus procedimentos habituais. 

NEM PENSAR – Questionado pela coluna sobre o noticiário de tevê a respeito da Operação Farra no Tesouro, Francisco Melfi, secretário de Administração, mostrou documentos segundo os quais a servidora Érica Cristina Carpi de Oliveira, personagem principal do momentoso caso, não foi exonerada tesoureira e nomeada Diretora Financeira no mesmo dia.  

CRONOLOGIA – Segundo Melfi, a nomeação de Érica se deu no bojo do Projeto de Lei Complementar enviado pela Prefeitura à Câmara Municipal no dia 8 de junho de 2017, pedindo autorização para extinguir 31 cargos em comissão e criando 16 novos cargos, entre os quais o de Diretor Financeiro.  Referida propositura tinha a ver com o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado entre o Município de Jales e o Ministério Público do Estado de São Paulo, nos autos de Inquérito Civil 1226/2014. Como o prazo dado pelo MP estava se esgotando, a Prefeitura pediu Regime de Urgência para o exame da matéria, que acabou aprovada pelos vereadores no dia 26 de junho de 2017.

QUEM É – Érica Cristina, hoje conhecida no Brasil inteiro em face do estardalhaço das redes de televisão, entrou na Prefeitura como guarda mirim, vinculada à Casa da Criança, no último ano do primeiro mandato do então prefeito José Carlos Guisso (1996). Depois, continuou no governo Rato até o final de 2000, permanecendo também no segundo mandato de Guisso, completado por José Antônio Caparroz e Hilário Pupim (2001-2004).  Quando Humberto Parini assumiu em 2005, a servidora foi locada na Secretaria de Fazenda durante os oito anos de mandato do petista, os dois anos de Eunice Mistilides e um ano e 10 meses de Pedro Callado, sendo mantida pelo atual prefeito Flávio Prandi Franco. Até explodir o escândalo, ela era considerada uma servidora eficiente e de absoluta confiança de seus superiores. 

REGRA TRÊS - Preocupado em não paralisar a máquina administrativa, o prefeito Flá nomeou como novo Diretor Financeiro, posto ocupado por Érica, o contador e bacharel em Direito Dalton Seiti Sigaki, que trabalhou muitos anos na Prefeitura de Estrela d’Oeste na mesma função. Ele também trabalha com assessoria contábil pública.

MEU PASSADO... - Na manhã em que a notícia da Operação Farra no Tesouro começou a pipocar nas redes sociais e apareceu o nome na lista de presos da secretária municipal de Saúde, Maria Aparecida Moreira Martins, o espanto foi geral.  Uma aluna e um aluno de um estúdio de pilates que ouviram a informação do personal trainer disseram não acreditar no envolvimento de Maria Aparecida, pois a conheciam de longa data.

...ME ABSOLVE – Em outros locais, a reação foi a mesma. Com 30 anos de serviços prestados na rede estadual de Saúde, Maria Aparecida foi descrita pelas ex-companheiras e companheiros de trabalho de Jales, onde serviu no Núcleo Regional de Saúde, e de São José do Rio Preto, na Diretoria Regional, como uma profissional rigorosa e metódica no exercício de suas funções.Ela também tem ótimo conceito na Unijales onde é coordenadora do curso de Serviço Social. Além do mais, leva vida modesta e é considerada excelente mãe tendo dois filhos já com formação universitária.  Talvez por não ter visto indícios da participação dela, o delegado federal Cristiano Pádua pediu, ainda na manhã do início da operação, a revogação da prisão de Cida. Ou seja, tudo a ver com o pensamento de quem a conhece há décadas. 

CHÁ DA AMIGA – Ao contrário dos anos anteriores, nenhum político com mandato deu o ar da graça durante o 21º Chá da Amiga, evento anual do Ministério com Mulheres da Primeira Igreja Batista de Jales. Já os candidatos a deputado preferiram mandar representantes. 

IRMÃO DA ESTRADA – Luiz Henrique Moreira, candidato a deputado estadual pelo Podemos, fechou uma semana agitada de andanças batendo ponto na Festa dos Caminhoneiros.