jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

ATÉ o dia 15 de dezembro, alguns empresários locais consultados pelo Jornal de Jales em seus respectivos estabelecimentos não tinham sentido grandes alterações nas vendas de final de ano...

Contexto
24 de dezembro de 2017
ATÉ
o dia 15 de dezembro, alguns empresários locais consultados pelo Jornal de Jales em seus respectivos estabelecimentos não tinham sentido grandes alterações nas vendas de final de ano, apesar da movimentação dos consumidores que começava a ser percebida.

TUDO
indicava, até aquele período, que a população estava mais preocupada em pagar as contas com a primeira parcela do 13º salário do que ir às compras se preparando para as festas de fim de ano. 

A DÚVIDA
dos empresários do comércio era sobre o que viria depois, mesmo porque em função da crise econômica que está demorando para dar sinais mais contundentes de recuperação poderia fazer com que os consumidores se limitassem a continuar pagando as contas e comprando só o necessário.

MAS
não foi isso que aconteceu, pois com o comércio aberto no período noturno desde o dia 14 e as ruas e praças centrais decoradas para o Natal, com shows e outras atrações, o clima mudou radicalmente, inclusive em estabelecimentos fora do centro da cidade.

ESSA 
mudança começou a ser sentida com mais intensidade a partir do dia 18, quando o jornal procurou ouvir novamente os empresários de vários segmentos para saber se o comportamento do consumidor havia passado por alguma alteração, o que foi confirmado pela grande maioria que se manifestou otimista em relação a um significativo aumento nas vendas.

ENVOLVENDO
várias cidades da região, o comércio de Jales é forte e mais uma vez demonstra que com muito esforço dos empresários e colaboradores dá para superar períodos de dificuldades como tem sido os últimos anos, em nível nacional.

SE
no resto do país as vendas de fim de ano no comércio tem registrado um leve aumento, em Jales dá para perceber que a situação também começa a mudar, talvez até com resultados um pouco mais positivos do que em muitas outras cidades. (Luiz Ramires)