Meio Ambiente

Árvore invasora é substituída no Distrito Industrial I

Uma árvore invasora e muito prejudicial ao ecossistema, pois impede o crescimento de outras, dominando totalmente o espaço onde ela cresce está sendo erradicada no local onde a Prefeitura inicia a construção de uma nova galeria de águas pluviais, no lugar de outra que foi totalmente deteriorada com o tempo.
Para explicar como as árvores da espécie leucena que cresceram no local serão substituídas o secretário de Planejamento, Nilton Suetugo e a secretária de Agricultura e Meio Ambiente, Silvia Andreu Avelhaneda Pigari convocaram a imprensa na manhã do dia 17 de janeiro, quando também foi apresentado o projeto de recuperação das ruas do distrito. 

ESTUDOS
O secretário informou que para a erradicação dessas árvores foi feito um procedimento técnico e comunicado à Polícia Ambiental, enquanto o monitoramento ficou a cargo da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente. O secretário justificou o encontro para explicar a retirada dessas árvores que darão lugar a uma infraestrutura adequada, capaz de evitar erosão, junto com o replantio de algumas espécies, cujo projeto já foi elaborado para o local onde será feita a galeria.
O secretário informou que outros locais da cidade deverão passar por intervenções dentro de um projeto mais amplo que inclui o atendimento de uma exigência da Cetesb para o plantio de milhares de árvores. Também foi feita uma tentativa de plantio de árvores na Avenida Francisco Jalles, entre as ruas 6 e 12, por sugestão do Ministério Público, mas não deu certo por causa da fiação, o que deverá implicar em outro projeto que possa ser executado. 

AMEAÇA
A secretária de Agricultura e Meio Ambiente informou que esteve no Distrito Industrial I com alguns policiais ambientais para que não houvesse qualquer dúvida sobre a retirada da leucena e ao mesmo templo saber se não existiam outras espécies por onde vai passar a galeria. Os policiais disseram que não tinha problema para fazer a erradicação.
Silvia explicou que a leucena ainda é muito utilizada para alimentação animal, principalmente no Nordeste onde é conhecida como a planta milagrosa. Ela tem essa utilidade, mas na área urbana é considerada como extremamente invasora que precisa ser eliminada pela raiz. 
Sua erradicação não exige reposição, mas o viveiro municipal de mudas está preparado para substituir as árvores arrancadas com várias espécies urbanas, adequadas para aquele local, dentro do trabalho de reurbanização que está sendo programado, como explicou a secretária.
Silvia deixou claro que a leucena pode ser plantada em propriedades rurais para silagem ou outra utilização, mas na cidade ela tem que ser arrancada, pois domina o ambiente em sua volta, impedindo o crescimento de outras espécies. Ela lembrou que algumas leucenas existentes no Bosque Municipal deverão ser erradicadas, pois estão com vagem e ameaçam dominar aquele espaço.     

Desenvolvido por Enzo Nagata