quarta 14 abril 2021
Arquibancada

Ano Novo, vida nova

Após um ano difícil, cujo ápice foi a semifinal da Copa Libertadores da América, o torcedor são-paulino não só pode – como deve – iniciar a atual temporadacom boas perspectivas. Os reforços pontuais, a manutenção de nomes importantes e os talentos revelados em Cotia são as razões pelas quais permitem a torcida voltar a sonhar com um título,que não vem desde 2012.
Ao contrário da última janela de transferências, a diretoria do São Paulo vem atuando bem no mercado. E há razões para celebrar. Com pouco dinheiro em caixa, o Tricolor fechou com quatro jogadores, sendo três por empréstimo (Cícero, Neílton e Wellington Nem) e sem a necessidade de desembolsar qualquer valor. Com contrato de dois anos e comprado do Osasco Audax por R$ 600 mil, a serem quitados em seis parcelas iguais, o goleiro Sidão foi o único que exigiu o desfalque dos cofres.
Apesar do baixo investimento, as contratações empolgam. A versatilidade de Cícero chama a atenção, já que o atleta de 32 anos pode atuar como meia, volante e, se for necessário, como lateral-esquerdo e centroavante. Ao lado de Gustavo Scarpa, teve bom desempenho no Fluminense, mesmo com poucas assistências (4). Já Nem, emprestado pelo Shakhtar Donetsk, chega com status – e salário – de titular. Com vencimentos de R$ 350 mil, o atacante será importante válvula de escape pelos lados.
A manutenção do esqueleto da equipe também é fundamental para um melhor desempenho. Mesmo que tenham sido especulados no futebol internacional, Rodrigo Caio e João Schmidt são importantes para ajudar na formação de um sistema defensivo mais sólido. A relevância do zagueiro dispensa comentários, enquanto o volante requer cuidados à parte. Isso porque o jogador já pode assinar um pré-contrato, o que lhe daria direito de sair no meio do ano sem que o São Paulo seja ressarcido – clubes da Europa surgem como interessados. O técnico Rogério Ceni já deixou claro que quer contar com ele no elenco. O marcador está valorizado e com mais moral do que os concorrentes.
Os talentos relevados noCFA Laudo Natel também enchem a torcida de esperança. Em 2016, o time sub-20, última etapa antes do profissional, conquistou cinco – Libertadores, Copa do Brasil, Campeonato Paulista, Copa Ouro e Copa RS – das doze taças levantadas pelas categorias de base. As sementes vão sendo plantadas e os frutos, colhidos. O meio-campista Shaylon, autor de 23 gols no ano anterior, por sinal, vai integrar o elenco para disputar a Flórida Cup, a pedido de Ceni. David Neres e Luís Araújo também não podem ser esquecidos. Destaques na campanha de recuperação do São Paulo no Brasileirão, ambos devem ser utilizados com mais frequência pelo treinador.
Depois de problemas políticos e financeiros, alguns fatores colocam o Tricolor em um patamar bem diferente daquele que terminou a temporada passada. A expectativa por dias melhores é real e aceitável. Aliás, já passou da hora do Gigante Adormecido despertar.

Lucas Colombo Rossafa
 (jalesense, aluno do 3°ano de jornalismo da  PUC/Campinas) 


Desenvolvido por Enzo Nagata