jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

ALÉM da consolidação como o maior evento religioso da região, a comunidade católica tem motivos de sobra para participar da Romaria Diocesana que acontece no próximo dia 18 de agosto.

Contexto
21 de julho de 2019
ALÉM
da consolidação como o maior evento religioso da região, a comunidade católica tem motivos de sobra para participar da Romaria Diocesana que acontece no próximo dia 18 de agosto, este ano em sua 35ª edição, pela segunda vez saindo da Igreja de Santo Expedito, na Avenida Nações Unidas, no bairro do mesmo nome.

MAIS 
do que essa longa trajetória, iniciada pelo bispo emérito, Dom Demétrio Valentini, com percurso que saía da frente do então recinto de Exposições Juvenal Giraldelli (Facip), seguindo até a Catedral, este ano a procissão marca o início das comemorações dos 60 anos de criação da Diocese de Jales, que ocorreu no dia 12 de dezembro de 1959.

NAQUELE
primeiro ano, quando a Diocese contava com apenas 25 anos, a Romaria já surgiu como um grande evento, com milhares de participantes de todos os municípios que formam a comunidade católica da Diocese de Jales e que depois da caminhada participaram da missa na praça, com muita empolgação.

TAMBÉM
naquela primeira Romaria um acontecimento especial envolveu os participantes, com a transferência para a Praça da Catedral do cruzeiro que marcou a fundação da cidade, com a celebração da primeira missa, em 1941 e que estava se deteriorando, no bairro Santo Expedito.

O CRUZEIRO
ainda está ali, bem ao lado da Catedral, para reverenciar esse início da Romaria e mais do que isso, deixar preservado esse marco histórico, para todos que passam pelo local e para os mais velhos recordarem um pouco da história da cidade e o que isso representa para cada um. 

MAS,
muito mais importante do que tudo isso, foi o que afirmou o bispo Dom Reginaldo Andrietta, no lançamento da preparação para a Romaria, lembrando que a mesma não deve ser vista apenas como uma festa católica, mas de confraternização e diálogo entre toda a comunidade regional, pelo bem comum, procurando no exemplo de Jesus Cristo e sua mãe o caminho para Deus, cada um se esforçando para alcançar a elevação espiritual através da união e oração, independentemente da crença religiosa que professe. 

NESSE
sentido ele destaca a solidariedade, com todos trabalhando em busca de maior justiça social, lutando contra a indiferença e o individualismo que prevalecem cada vez mais, nos dias de hoje. Nada mais atual. (Luiz Ramires)