Artigo

Água: uso sustentável na agricultura

É indiscutível que a água trata-se de um bem público de extrema importância para a humanidade, um recurso que mantém todo o ecossistema terrestre, e dentre sua importância inclui-se a manutenção de atividades antrópicas, tais como a agricultura, pecuária, produções de bens de consumo e a sobrevivência humana, é certo que sua ausência causa diversos transtornos ambientais, sociais e econômicos, tal que nos últimos anos, as questões relativa a água e o seu uso têm sido o foco de crescente preocupação e debate internacional.

À medida que as populações se expandem e as economias crescem, a competição por estas se intensifica, ocasionando conflitos entre seus usuários. O fato é que a água agrícola vem de uma variedade de fontes típicas como, rios, córregos, valas de irrigação, lagoas, reservatórios, águas subterrâneas de poços, água coletada localmente, como cisternas, barris de chuva, enfim as fontes são diversas.

Cidades, agricultores, indústrias, países em desenvolvimento e economias industrializadas não estão fazendo a gestão correta dos recursos hídricos. A qualidade das águas superficiais está se deteriorando nas principais bacias de resíduos urbanos e industriais. É fundamental que os usuários mudem o conceito quanto ao uso e a preservação da água, uma premissa que parece fácil de ser entendida e realizada, mas infelizmente não é, pois, entender e assegurar os recursos hídricos exige planejamento, conhecimento técnico, conscientização, não sendo nada fácil para os gestores implantarem o uso ideal. Seu uso consciente demanda inteligência e mediação entre todos, fazendo-os concluir sobre sua importância e o uso seguro deste bem renovável e limitado.

Nesse contexto, uma alternativa para contribuir com a gestão dos corpos d’água é a utilização de efluentes para uso agrícola, um mecanismo de caráter eficiente e inteligente, uma vez que a aplicação deste é uma prática antiga e popular, infelizmente no Brasil ainda é pouco utilizada, mas pesquisas apontam inúmeros benefícios ligados a este método, destacando-se principalmente a sustentabilidade.

 As águas residuais podem ser facilmente coletadas ou bombeadas diretamente de uma fonte de água próxima. Em seguida, pode ser usada para irrigar culturas e campos. Relatórios apontam que mais de 20 milhões de hectares estão sendo irrigados com águas residuais em todo o mundo por cerca de 200 milhões de agricultores. O uso de águas residuais recuperadas na agricultura foi relatado em cerca de 50 países, o que representa 10% das terras irrigadas do mundo.

A escassez de água é a principal preocupação que afeta a economia global e a subsistência da humanidade. Mudança climática, rápido crescimento populacional, poluição de água doce e esgotamento estão entre os fatores que agravam a situação. Embora ainda não seja exaustivamente explorada, a recuperação e a reutilização de águas residuais são consideradas mecanismos potenciais para mitigar a poluição, o uso sustentável da água de irrigação é uma prioridade para a agricultura.

É preciso ressaltar que o uso destas em áreas agrícolas tem sido praticado em escala crescente nas últimas décadas, devido ao seu potencial de fertilização, pois são ricas em nutrientes como nitrogênio, fósforo e potássio, nos quais são elementos importantes para o desenvolvimento das culturas, reduzindo deste modo o uso de agrotóxicos. Além, de contribuir para redução na demanda de águas superficiais, subterrâneas e alívio no descarte de corpos d´ água, não interferindo deste modo na qualidade das águas.

A viabilidade de reutilizar efluentes na agricultura depende das circunstâncias e condições locais, o que afetará o equilíbrio de custos e benefícios. A irrigação é importante nas práticas agrícolas, responsável por proporcionar uma maior produtividade e qualidade das plantações, garantindo suprimento de água durante todo o ano.

Portanto, o reuso de água é uma alternativa sustentável oferecendo benefícios para agricultores, usuários e meio ambiente, contribuindo para seu uso eficiente e proteção da vida aquática.

Docente: Professor Doutor Fernando Braz Tangerino Hernandez

Discente: Naiara Cristina Tarocco


Desenvolvido por Enzo Nagata