jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Advogados e cidadania

Editorial
25 de fevereiro de 2019
Na última sexta-feira, 22 de fevereiro, foi empossada a nova diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil, seção de São Paulo, bem como conselheiros estaduais e federais e dirigentes da Caixa de Assistência dos Advogados (CAASP). 
Bem de acordo com o espírito que norteou a OABSP nos últimos 20 anos, a solenidade de posse foi realizada em local adequado — o Auditório Simón Bolivar do Memorial da América Latina. 
Quem estudou um pouco da História das Américas sabe que Simon Bolivar foi um líder político e militar venezuelano, chefe das revoluções que libertaram a Venezuela, Colômbia, Equador, Panamá, Peru e Bolívia do domínio espanhol. 
Vai daí, a escolha do Auditório com o nome deste personagem de espírito libertário, que viveu entre 1793 e 1830, como cenário da posse da nova diretoria, tem tudo a ver com a trajetória de uma das mais influentes entidades da sociedade civil brasileira e que sempre esteve na vanguarda dos movimentos que fizeram a diferença na história do país.
O fato novo da posse de anteontem é a presença de um advogado militante na comarca de Jales, Aislan de Queiroga Trigo, na cúpula da OAB paulista, como secretário-geral da diretoria, posto que tinha sendo ocupado na diretoria anterior, presidida por Marcos da Costa, pelo presidente eleito Caio Santos Silva Souza. 
 Claro que é uma honra para a classe dos advogados da Subseção de Jales ter um dos seus pares em posto de tamanha relevância, eis que a OAB paulista, historicamente, e principalmente nos últimos 20 anos, sempre esteve na linha de frente dos movimentos da cidadania.   
Sob este aspecto, não há como negar o passado como o trabalho de fôlego do advogado jalesense Carlos Alberto Expedito de Brito Neto, conselheiro estadual da OAB depois de ter presidido por dois mandatos a Subsede de Jales, tornando-se coordenador do Fórum da Cidadania, instância comunitária formada por entidades de classe, clubes de serviço, associações profissionais e instituições filosóficas.
Defensor intransigente das prerrogativas da classe, coube a Carlos Alberto mobilizar o alto comando da OAB estadual para um ato de desagravo ao colega presidente Aislan, por conta de um entrevero com o então procurador da República em Jales, Thiago Lacerda Nobre, hoje chefe do Ministério Público Federal em São Paulo.
Foi uma noite em que aflorou o civismo e a cidadania, eis que dividiam o mesmo espaço na mesa de honra pesos-pesados da OAB estadual como Luiz Flávio D’Urso e Marcos da Costa e, em nível de Circunscrição Judiciária, as juízas Maria Paula Branquinho Pini (Aufilama), Marina de Almeida Gama Matioli (Urânia) e o promotor de justiça José Raphael Hussein (Estrela d’Oeste).
Por estas e outras razões e tendo em vista o espírito de luta que sempre o caracterizou, imagina-se que Aislan de Queiroga Trigo fará da Secretaria-Geral da OABSP um eficiente instrumento de reafirmação não somente da advocacia, mas, e principalmente, da cidadania.