jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

ADMINSTRAÇÃO

ADMINSTRAÇÃO SEM RUMO II
12 de janeiro de 2015

Completou-se dois anos de uma administração municipal ainda confusa, desorganizada e sem rumo.
 Esse mesmo assunto foi objeto de um artigo de minha autoria publicado nesse jornalalguns meses atrás onde citei algumas opiniões a respeito do primeiro ano de mandato da nossa atual gestora. Agora, completado dois anos frente ao Executivo Municipal, a equipe da nossa gestora continua se desentendendo, desorganizada e sem união. Na oportunidade achei a coligação vencedora muito forte e competente, e na famosa “dobradinha” incluía-se o partido do governo estadual PSDB; ao qual se poderia depositar uma ficha de esperança numa governabilidade planejada e consciente.
Passados alguns meses da posse da nova equipe, o que se viu foram momentos marcantes: brigas, desencontros, nomeações de secretários num entra e sai constante que remeteu a coligação  vencedora para um caminho sem retornoindo para o “espaço” como diz o ditado.
Posso afirmar que nesses dois anos de administração o Executivo vive com o Legislativo uma “guerra” sem fim, onde faltou  um diálogo aberto e franco por parte principalmente da nossa gestora. Trava-se uma batalha “sangrenta” que até parece um filme de faroeste de bang-bang americano.
E os espectadores dessa película somos todos nós,  obrigados a assistir tudo isso de camarote e sem saber qual será o finalda história. Na realidade nesse filme, não tem “mocinho”,  só tem homens “malvados”e  isso nos impede de escolher a quem iremos torcer no final da história. Para os malvados? Nunca assisti filme assim.
Claro que temos que reconhecer que alguma coisa nossa cidade ganhou: veículos de transportes de alunos, algumas maquinarias agrícolas, viaturas para a saúde e alguns trechos de ruas sendo recapeadas.
Mas em uma cidade que sempre ostentou ser o centro de região, isso é muito pouco, podemos chamar de “migalhas” essas conquistas e não mudou nada o panorama de uma cidade que sonhávamos ser pujante geradora de empregos, dentre outros benefícios.
Além da falta de um planejamento estratégico para o desenvolvimento em todos os setores que nossa cidade clama há vários anos, a nossa representatividade em termos de região não existe e nem sequer somos notados pelas esferas estadual e federal, não temos deputados e nem secretários que poderiam estar ocupando cargos do primeiro escalão principalmente no governo estadual.
A pequena Urânia acaba de ter um secretario nomeado para a pasta de Recursos Hídricos pelo governador Alkmin.
Ainda bem, para nosso consolo, temos tão somente o Flavio Prandi como assessor de secretário Rodrigo Garcia. Mas confesso a vocês que é pouco.
Uma cidade para recuperar seu prestigio é necessário que se forme um trabalho sério e uma reforma política profunda e que mostre ao estado e à nação que temos capacidade e políticos adequados e de confiança para galgar esses cargos que representam muito para uma gestão promissora e eficaz.
Vaidades, interesses próprios são atributos que contrariam o caráter de um politico decente e de confiança.
Precisamos urgente reconhecer que nossa cidade não é mais centro de região, e ter humildade de descer do “pedestal” e começar tudo do zero, e somente assim quem sabe no futuro, possamos estar opinando sobre uma cidade que temos orgulho de ser cidadãos.
 Ao Executivo e Legislativo vai a mensagem, ainda há tempo de retomar o caminho correto do crescimento e desenvolvimento social que nós jalesenses almejamos. Por favor chega de brigas.

 Osmar Gabriel