Contexto

A SITUAÇÃO

A SITUAÇÃO

vivida pela população, quase toda em isolamento social por conta do combate ao coronavírus, saindo de casa apenas quando necessário já resultou em milhares de comentários, análises e avaliações sócio-econômicas como nunca se viu e tudo indica que por um bom tempo ainda vamos ter que conviver com o problema.

MESMO

com a flexibilização autorizada na semana passada pelo prefeito Flávio Prandi Franco, desde que respeitadas as restrições para se evitar aglomerações, disponibilização de álcool em gel e outras exigências, ainda é cedo pra se afirmar que tudo voltará ao normal no curto prazo.


TAMBÉM

o Governo do Estado teve suas preocupações bem destacadas na última quarta-feira, dia 22 de abril, quando anunciou a liberação da atividade econômica a partir de 11 de maio, diferente para cada região, Ou seja, ainda temos mais duas semanas antes que o isolamento, em nível estadual comece a ser abolido por fases, respeitando a quarentena por mais tempo e a disponibilidade de leitos nos hospitais em cada localidade.

A LIBERAÇÃO

 do comércio,com o afrouxamento de algumas das medidas restritivas certamente contribui para o início da retomada da economia, mas está longe de resolver as situações de dificuldades enfrentadas por quase todos os segmentos de negócios que ainda terão um bom tempo para recuperar parte dos prejuízos sofridos com a paralisação.

FOI

o que o Jornal de Jales pode constatar ouvindo representantes de empresas, algumas que sofreram menos e outras que se encontram em situação crítica, enquanto aguardam decisões que dependem de instâncias superiores, como é o caso, por exemplo, das agências de viagens que esperam o reinício dos voos internacionais, enquanto os nacionais estão quase parados por falta de passageiros.

MESMO

com essa sinalização de retomada das atividades econômicas, muita coisa ainda pode acontecer por conta dos mistérios que cercam esse vírus, de uma ferocidade como nunca se viu na história da humanidade como estão constatando cientistas que procuram não só a causa, mas como combater os danos provocados em todo o organismo, nos casos em que a doença é mais agressiva, tentando saber porque isso acontece, como também mostramos em reportagem nesta edição.

VACINA

e remédios ainda devem demorar um bom tempo para aparecerem e enquanto isso, não resta alternativa senão conviver com a situação, tomando todas as precauções conhecidas. (LR)

Desenvolvido por Enzo Nagata