jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

A MÚSICA sempre foi a forma de expressão de sentimentos ligados ao comportamento individual ou coletivo, manifestada de modo espontâneo...

Contexto
15 de julho de 2019
A MÚSICA
sempre foi a forma de expressão de sentimentos ligados ao comportamento individual ou coletivo, manifestada de modo espontâneo, sem qualquer preocupação com afinação, apenas para  descontrair ou extravasar o que está dentro de quem gosta de cantar em qualquer hora ou em qualquer lugar.

EXISTE,
no entanto, a preocupação de aprimorar a arte do canto ou de tocar instrumentos, fazendo de quem canta o centro das atenções de alguém ou um grupo de pessoas que está ouvindo e que exige um certo aprimoramento, afinação para não ferir os ouvidos desse público.

AINDA
que de forma amadora ou se preparando em busca de um espaço como músico profissional, existem cursos que contribuem para a formação, principalmente de crianças e adolescentes que se identificam com algum instrumento ou forma de cantar.

QUANDO
se anunciou que o Projeto Guri iria acabar, a reação foi tanta que o governo voltou atrás e  mais uma vez um grupo de nada menos do que 126 integrantes pode promover a apresentação do semestre de mais uma turma, no Centro Cultural Dr, Edilio Ridolfo.

A MÚSICA
é também um poderoso instrumento de formação para quem aprende, desenvolvendo capacidades, descontração e atenção, como relataram vários pais de alunos, durante a apresentação, impressionados com a melhoria do comportamento de seus filhos, sem contar o desempenho na escola.

O PROJETO
existe em Jales há 14 anos, atendendo alunos de 6 a 18 anos das escolas  municipais, estaduais e particulares, onde eles aprendem  a tocar instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopro, percussão e madeiras, além de poder participar de um coral, contando para isso com uma equipe de sete educadores, um auxiliar de pólo e uma coordenadora.

ALÉM 
de ser apresentado como uma importante ferramenta  de transformação social, o projeto estimula a sociabilidade, fortalecendo o trabalho em equipe, despertando o sentido de cooperação e aumentando a responsabilidade de cada aluno. 

SEUS
responsáveis lembram que basta querer para poder participar, pois o projeto não exige nada além da vontade de aprender música e conviver em grupo, sem teste de seleção ou outros questionamentos. E, é claro, tem que estar matriculado em alguma escola. (LR)