jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

A IDEIA de se reunir em um só espaço os órgãos relacionados à prestação de serviços na área da Justiça, desafogando o trânsito no centro da cidade e ao mesmo tempo facilitando a vida do público de toda a região que depende desses serviços ...

Contexto
11 de novembro de 2018
A IDEIA
de se reunir em um só espaço os órgãos relacionados à prestação de serviços na área da Justiça, desafogando o trânsito no centro da cidade e ao mesmo tempo facilitando a vida do público de toda a região que depende desses serviços, ao que tudo indica não saiu e nem deverá sair do papel no curto e médio prazo.

PROPOSTAS
como a da Cidade Judiciária são sempre muito bem recebidas pela população e pelos administradores exatamente por isso, ou seja, pelo que representa em termos de facilidade para a vida do cidadão e ao mesmo tempo setorizar núcleos de atendimento criando espaços específicos e contribuindo para a melhoria dos centros urbanos.

QUANDO
se discute as questões relacionadas à urbanização, como agora, nos momentos finais de elaboração do novo plano diretor do município, que na verdade é uma atualização, reestruturando o que foi elaborado há algumas décadas, ideias como esta de descentralização dos serviços para desafogar o centro sempre vêm à tona, mas sem qualquer resultado prático.

A CULPA
não é da administração pública, pois mesmo que quisesse não teria recursos para construir espaços para o atendimento público e para acomodar os profissionais em seus respectivos departamentos e mais do que isso, iniciativas nesse sentido são decisões que teriam de ser tomadas pelos próprios prestadores desses serviços ou seus órgãos superiores, como no caso da Justiça.

EM 
nível de Estado existem algumas iniciativas importantes cumprindo funções parecidas, como é o caso dos Poupa Tempo e dos Ganha Tempo, como o que foi instalado em Jales, em abril, ao lado do Samu e começou a funcionar com a transferência da unidade local do Detran e do Procon.

É NESSE
espaço que logo deverá funcionar outro serviço importante, cujo convênio está sendo preparado pela Prefeitura e pelo INSS que deverá levar para aquele local o INSS Digital, para facilitar a vida da população que poderá solicitar serviços do instituto de forma muito mais rápida.

QUANDO
a deterioração de muitos serviços prestados pelas instituições governamentais, principalmente em nível federal e estadual são cada vez mais acentuadas em função da falta de recursos, iniciativas como essa vêm na contra mão, mostrando que é possível melhorar o atendimento do cidadão que paga impostos e contribuições e portanto deve ser tratado sempre com mais dignidade. (Luiz Ramires)