jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

A busca pela reafirmação

por Lucas Rossafa
18 de dezembro de 2017
Lucas Colombo Rossafa
Quando o Palmeiras anunciou a contratação de Lucas Lima, em 30 de novembro, muitos palestrinos receberam a notícia com uma mistura de sentimentos. Nas veias alviverdes, fluíam, ao mesmo tempo, entusiasmo, negativismo e cautela – e com razão.
O meia, durante as quatro temporadas pelo Santos, escolheu o Verdão como o principal alvo de suas provocações nas redes sociais. Agora, tem a difícil missão de refazer a sua imagem perante os torcedores. Embora a cobrança seja ainda maior em relação ao que viveu no Peixe, tem futebol para reverter a situação.
A partir de janeiro, será preciso dar um voto de confiança ao jogador e ter muita paciência caso demore a engrenar no esquema tático de Roger Machado. Mas por que confiar em um atleta que vem de um ano com atuações irregulares e que jogava quando queria?
A motivação de vestir uma nova camisa, a mais pesada do futebol brasileiro quando o assunto é investimento, pode fazer a diferença. Ligado, Lucas Lima tem potencial para ser o titular da armação, com suporte de Moisés. Em 2017, ele provou ter competência para decidir partidasimportantes. Líder de assistências (6), ele foi o que mais se destacou pelo clube na Copa Libertadores da América, com participação em quase todos os gols. Mais: acabou com o jogo diante do Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro, em setembro, com um gol, movimentação por todos os setores do campo e muita fome de bola. Uma pena que foi assim somente em jogos de vida ou morte.
Além disso, tem pouco tempo para mostrar o futebol que o levou à Seleção Brasileira. A Copa do Mundo, cujos grupos já foram sorteados, está batendo na porta. É fundamental se reinventar até o começo de maio, quando sai a lista definitiva para o Mundial, e tentar chamar a atenção do técnico Tite novamente – o que, hoje, é improvável.
Na capital paulista, o jogador de 27 anos terá um grupo muito mais qualificado para ajudá-lo a produzir em alto nível. Antes, ele era o único responsável por fazer o Santos jogar. A diferença nas atuações quando não estava em campo era notória. Ele pode – e deve – desequilibrar a favor do Palmeiras, desde que esteja determinado. Semvontade, porém, o meio-campista é como qualquer outro pé de chinelo por aí.
Quando divulgou a assinatura do vínculo por cinco temporadas, o Verdão foi ousado:publicou um vídeo do game Pro Evolution Soccer 2018 (PES) nas redes sociais do clube em que aparecem imagens do Allianz Parque lotado e doatletase preparando para entrar em campo. A missão de Lucas Lima, diante do exposto, é trazer todo o talento do mundoeletrônico à realidade.E o bom de tudo isso é que depende apenas de suas próprias forças.

Lucas Colombo Rossafa
 (jalesense, aluno do 3°ano de jornalismo da  PUC/Campinas) 

Twitter @lucas_rossafa