sexta 05 junho 2020
Política

por Rafael Honorato 
 
Tendo assumido recentemente a Secretaria da Fazenda do município de Jales, José Magalhaes Rocha assegurou que o ano de 2016 terá um orçamento bastante apertado, não contemplando obras de infraestrutura com os recursos do município.
Segundo Magalhães, a prioridade será quitar as dividas com os fornecedores, que giram em torno de R$1.750.000,00. Ele disse que a expectativa é que esse montante seja pago até 31 de março do próximo ano. A receita no ano de 2015 subiu 10% e as despesas 8%, o que indica uma situação financeira aparentemente tranquila, porém, as dividas da Prefeitura se arrastam há anos, fazendo com que o montante não seja liquidado. 
Magalhães disse que é necessário que haja um controle de gastos pela administração, como a anulação de contratos julgados desnecessários, como é o caso dos guardas noturnos que ficam nas unidades de saúde. Haverá um levantamento para se descobrir em quais casos eles podem ser substituídos por segurança eletrônica, o que diminui os gastos. 
O secretário disse que o Refis injetou grande quantidade monetária no município, porém, 28 % das pessoas contempladas estão em inadimplência, ou seja, não estão pagando a renegociação. 
O levantamento feito na referida pasta se deu principalmente para priorizar gastos essenciais em todas as secretarias.
Sempre falando em números, o secretário foi enfático na questão da divida anual do município, que segundo ele vai girar em torno de 8 a 9 milhões de reais, que sempre vai ficar para ser quitada no ano seguinte.
 
 
Desenvolvido por Enzo Nagata