sexta 25 setembro 2020
Vitrine

“365 dias”, a polêmica

Na última terça-feira, dia 14 de julho, o jornal O Estado de S. Paulo publicou no Caderno 2, matéria sobre o filme “365 dias”, tomando 3/4 da página 3 do caderno — 29,5 cm de largura e 40 cm de altura.

Detalhe: a autora do texto é a jornalista Bethonie Butler, do jornal norte-americano “Washington Post”, com tradução para o Estadão de Renato Prelorentzou.

 No título da matéria, a autora escreveu: “Popular na Netflix, “365 dias é alvo de críticas e atrai fãs”. E no subtítulo: “com narrativa controversa, filme mostra chefe da máfia italiana que sequestra mulher por quem está apaixonado e exige que ela passe um ano com ele”.

E, perguntaria o leitor: o que tem a ver este filme com o Jornal de Jales? Tudo a ver, eis que “365 dias”, muito antes do Estadão, mereceu abordagem de alto nível da advogada jalesense Adriana Monteiro Sanches de Lima, com chamada de capa, publicada na edição de 14 de junho, portanto 35 dias antes.

Esclarecedor, o texto de Adriana, depois de considerações sobre os motivos que a levaram a assistir ao filme, questiona: “sequestro e amor? Na mesma frase? Seria possível? Não é possível, como sabemos”.

Também postado na edição digital do J.J. o texto rendeu 1.250 visualizações, 4 comentários (todos elogiosos), 7 compartilhamentos e 6 curtidas. Ela é coautora de livro sobre direito tributário em parceria com o marido, o juiz de direito Fernando Antônio de Lima, do Juizado Especial da comarca.


Desenvolvido por Enzo Nagata